Rádio WNews

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Foto Mano Menezes em Vacaria RS em 2004

Inter em 1985

Democracia na Internet





Democracia na internet



O jornal Zero Hora publicou na edição deste sábado o artigo Democracia na Internet da deputada Manuela d'Ávila sobre o chamado AI-5 Dgital.



Veja a íntegra do artigo:



Democracia na internet, por Manuela d'Ávila*

A internet revolucionou o acesso às informações e à cultura. Hoje temos ao alcance dos dedos quase todo o conhecimento produzido pela humanidade. Além disso, o contato ultrapassou a barreira da distância, permitindo conhecermos e nos relacionarmos com pessoas a milhares de quilômetros. E mesmo a forma de vermos TV, ouvirmos músicas e acessarmos nossas contas bancárias mudou radicalmente depois da internet.

Aos poucos, nossa legislação está se adaptando a estes novos tempos. Mas está em debate na Câmara um projeto que pode atingir um valor caro para nossa democracia: a liberdade de expressão.

Aprovado pelo Senado em 2008, o projeto de lei sobre crimes digitais no Brasil cria uma série de normas e procedimentos para combater os crimes na internet. Mas, muito longe de seu objetivo original, o projeto poderá transformar provedores de acesso em centros de espionagem e delação. O projeto inviabiliza, por exemplo, a rede wi-fi pública que existe no Parque da Redenção, bem como as redes wi-fi abertas que existem nos shoppings.

Além disso, ele desobriga o sistema bancário de proteger seus clientes, invertendo a lógica e responsabilizando os clientes pelos desfalques que eles podem sofrer. Mas o projeto vai além: se aprovado, os usuários podem ser criminalizados pelo download de arquivos e músicas.

O projeto é alvo de um abaixo-assinado virtual com quase 150 mil assinaturas, disponível na internet.

A reação ao projeto, apelidado de “AI-5 Digital”, cresce a cada dia.

A inspiração deste projeto é a Convenção de Cybercrimes, assinada, em 2001, em Budapeste, na Hungria. Montada pelos lobbies de fabricantes de softwares e de direitos autorais da Europa, a convenção não foi assinada pelo Brasil e por nenhum país latino-americano. Nem pela maioria das grandes nações em desenvolvimento, como China e Índia.

Em busca de apoio, os defensores do AI-5 Digital afirmam que a lei vai reforçar o combate ao abuso sexual de menores. Mas já há legislação específica sancionada em novembro de 2008 que aumenta a pena máxima de crimes de pornografia infantil na internet de seis para oito anos de cadeia, além de estabelecer punições mais rígidas para a aquisição, posse e divulgação de material pornográfico.

Não se trata, portanto, de um projeto que irá proteger as conquistas que tivemos com a popularização da internet. O projeto do senador Azeredo, se aprovado, em nada afetará a vida dos cibercriminosos, mas afetará em muito a vida dos demais cidadãos.

Ou falamos agora, ou corremos o risco de, na internet, nos calarem como na época do AI-5.


*DEPUTADA FEDERAL (PC DO B-RS)

Bons Tempos

Eu sempre ngadiama (pobrezinho) , tão kandenge (menino) filho da kitandeira da kitanda do "Brinca na areia" nos tempos do kaputo ali no bairro da lixeira, no musseque Sambizanga. Eu, filho do homem que do processo 50 que passou ao São Nicolau ( Cadeia-colonial na Província do a tual Namibe e antes Moçãmedes) e que foi para a cadeia de tarrafal ( Cabo Verde) antes de eu nascer, e me conhecendo depois dos 9 anos de idade que eu tinha e que vinha de muito longe e trazendo lágrimas no meio de todos quanto estavam embrulhados da ilimitada saudade , choravando em 1974,o dia todo chorando. Eu ainda estou aqui tão pobrezinho em terras extranhas, sem pão e sem água que me permita dizer que ainda sou Angolano. Aqui estou em busca do mesmo sonho, fazendo o mesmo sonho a que a nova geração procura fazer para o bem de muitos e fundamentalmente de uma nação chamada Angola. Este menino eu, tão longe da vida que o pertence, não para de sonhar assim como a quem sonhou com os olhos secos à liberdade, desenvolvimento e bem estar, que pela dor escreveu as realidades da vida do seu povo. Este menininho, depois do Kwandu-Kwbango, Moxico e Biê a serviço de quem o cassou para os conflitos entre Angolanos, este menino de 40 anos e recusado por motivos de idade a uma bolsa de estudos pela instituição a mando da SONANGOL no Brasil, estudante de engenharia civil e matemática em duas duas diferentes universidades federais no Brasil, está sempre presente para um dia dizer ao sociedade que o pertence se realmente existe um governo ditatorial ou progressista em Angola.
Por este sábado sou inspirado a saudades dos anos setenta enque eu poderia dar uma graxa aos sapatos dos kilamas(vaidosos) da banda para comprar os meus rebuçados no capo do acadêmica aonde poderia estar o volante(cinema popula) e ver Charle Chaplin e no domingo ver meu kutonoka(show musical ao vivo), aonde poderia eu ver Urbano de Castro do Cazenga, Arthur Nunes do Sambizanga, David Zé da Funda, Luís Visconde e tantos outros.
Carro de praça, Zinha, Malalanza e tantas outras múzicas não escuto porque nem Salú Gonçalves e nem o Afonso kintas coloca no ar.ç Asim eu fico com o Mam-Prole:

Amba masoxi malundumukê
Mukudila oh mona
Mama usanga yudila
Mukubanza oh mona

Amba masoxi malundumuka
Mukudila oh mona
Mama yusanga udila
Mukubanza oh mona

Eme ngambe kumudilê
Uavuala oh mona
Uondofua ny ndolo
Muene wambe ngavualele monamy
Ngi mujimbami

Mama kudile-dilê undofua ny ndolo
Muene uambe ngavualele monamy
Ngi muji,bami



Jihenda já ngivula...!! !

Kizembe

Destaque Vermelho

DESTAQUES
DA EDIÇÃO DE HOJE DO PORTAL VERMELHO

Câmara
Ciro quer Bloco aliado a Temer na desobstrução de pauta
O deputado Ciro Gomes vai propor ao Bloco de Esquerda (PSB, PCdoB, PMN e PRB) apoio à iniciativa do presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer, em relação à nova interpretação da Constituição sobre o trâmite das Medidas Provisórias. A oposição promete ir ao Supremo Tribunal federal (STF) contra a medida.

PSDB faz silêncio

Blog do Mello
Jornalistas, o que Serra acha da "ditabranda"?
Há um mês, a Folha publicou o editorial em que criou o neologismo ditabranda. Até hoje não se sabe a opinião do governador José Serra, candidato da Folha a presidente.
Serra do Sol
Gilmar Mendes será o último a votar
O placar é de nove votos a favor da demarcação em faixa contínua da Terra Indígena Raposa Serra do Sol e apenas um contrário. O último voto, do presidente da Corte, Gilmar Mendes, ficou para esta quinta-feira. Debate
Vermelho e Fórum promovem debate com Pochmann e Rabelo dia 20
O portal Vermelho e a revista Fórum promovem na próxima sexta-feira, dia 20, em São Paulo, o primeiro debate de uma série que visa contribuir para a luta de idéias.
Ousadia para que o ''pibinho'' não seja um problemão

Luciano Siqueira
Um "ato inaugural"

Lejeune Mirhan
Sionismo é o problema

Fatima Oliveira
Para jamais esquecer a tragédia de Sharpeville

Eron Bezerra
Crise. Dinheiro público para trabalhador

Carlos Pompe
A excomunhão da vítima


Esta é uma mensagem automática, favor não responder

Destaques do Vermelho é um serviço diário gratuito do www.vermelho.org.br

Destaque Vermelho

DESTAQUES
DA EDIÇÃO DE HOJE DO PORTAL VERMELHO


Serra e Aécio no Recife

Eleições 2010
Tucanos ensaiam união: "Dedo no olho é para tirar cisco"
Os dois presidenciáveis tucanos, Aécio Neves e José Serra, a conselho do ex-presidente FHC, ensaiam um discurso de unidade. "Luis Nassif"
Mudanças estruturais tiram poder da grande mídia
Estudo amplo dos dados do IVC e do Ibope comprova que a última década foi de mudanças estruturais. Diminuiu o papel e a influência da chamada grande mídia - categoria onde entram a Rede Globo, os jornais Folha de S.Paulo, Estado de S. Paulo, O Globo, Jornal do Brasil e Correio Braziliense.

Debate
Vermelho e Fórum promovem debate com Pochmann e Rabelo dia 20
O portal Vermelho e a revista Fórum promovem na próxima sexta-feira, dia 20, em São Paulo, o primeiro debate de uma série que visa contribuir para a luta de idéias. Política de juros
Munhoz culpa monetaristas pelo acirramento da crise
O Brasil necessita sair da "camisa de força" e realizar um "largo programa de investimentos governamentais" para reverter a crise, propõe o economista Dércio Garcia Munhoz.

Contag fora da CUT lutará melhor pela unidade

Fatima Oliveira
Para jamais esquecer a tragédia de Sharpeville

Eron Bezerra
Crise. Dinheiro público para trabalhador

Carlos Pompe
A excomunhão da vítima

Sérgio Barroso
A crise global e os “emergentes”: o paradoxo

Eduardo Bomfim
O Encontro

Operação Bandeirante

Operação Bandeirante
Origem: Wikipédia
Ir para: navegação, pesquisa
A Operação Bandeirante - OBAN foi um centro de informações, investigações e de torturas montado pelo Exército do Brasil em 1969, que a coordenava e integrava as ações dos órgãos de combate às organizações armadas de esquerda que tinham por objetivo confrontar o regime ditatorial que vigorava desde 1964 no Brasil.

A entidade foi financiada em 1971 por alguns empresários, como Henning Albert Boilesen, da Ultragás, que teria sido assassinado em São Paulo sob a acusação de ter sido um dos financiadores da OBAN.

Seu membro mais famoso foi o major Carlos Alberto Brilhante Ustra.


História
A OBAN foi lançada oficialmente em junho de 1969. Teriam participado do ato de lançamento da OBAN, no dia 1º de julho de 1969, em São Paulo, o governador da época, Roberto Costa de Abreu Sodré, o secretário de Segurança Pública, Hely Lopes Meireles, o general José Canavarro Pereira, comandante do II Exército, e os comandantes do VI Distrito Naval e da 4ª Zona Aérea.

No entanto, o ex-governador Abreu Sodré negou qualquer envolvimento com a OBAN. O prefeito da capital paulista à época, Paulo Maluf, também refutou as versões de que teria dado apoio à iniciativa. Nada foi apurado oficialmente contra esse dois políticos.

As ordens para a montagem de um organismo que reunisse elementos das Forças Armadas, da Polícia Estadual - civil e militar - e da Polícia Federal para o trabalho específico de combate à subversão, foram dadas ao final de 1968 pelo Ministro da Justiça, professor Luís Antônio da Gama e Silva, numa reunião dos secretários de Segurança em Brasília, e pelo general Carlos de Meira Matos, que estava na chefia da Inspetoria Geral das Polícias Militares. A reunião, chamada "Seminário de Segurança Interna", discutiu toda uma estratégia de combate aos opositores do regime.

Sua sede foi instalada no número 1030 da rua Tomás Carvalhal, nos fundos do 36° distrito policial, na capital paulista.

Este local é considerado a mais célebre casa de torturas e de assassinatos da ditadura e no paradigma dos órgãos de segurança da ditadura militar.

Seu primeiro comandante foi o tenente-coronel do Exército Waldir Coelho Pode-se dizer que a partir daí o Exército entrou de corpo inteiro no combate às forças de esquerda e principalmente, naquele momento, às que se dispunham a desenvolver a luta armada para a implantação de uma ditadura comunista no Brasil. Mas não apenas estas: professores universitários eram vigiados e frequentemente abordados por agentes da organização.

Sem vínculos formais, ou legais,a OBAN era em essência uma formação paramilitar de ação direta e violenta à margem da lei, o que lhe dava agilidade e brutal eficácia.

Era financiada por doadores privados como o Grupo Ultragás, Ford, GM e Grupo Camargo Corrêa, entre outros e pelos bens tomados de suas vítimas. Entre os doadores, haviam os que apoiavam com entusiasmo a repressão e outros que contribuíam a contragosto, sob pressão.[carece de fontes?]

Entre esses doadores, destaca-se a figura de Henning Albert Boilesen, dinamarquês naturalizado brasileiro, diretor do Grupo Ultra. Segundo versões, contestadas por sua família e nunca apuradas oficialmente, chegou a participar de sessões de tortura e teria inventado uma ferramenta de tortura que levou seu nome: a Pianola de Boilesen, uma espécie de teclado que emitia choques elétricos em quem o premesse. Também faz parte do imaginário esquerdista a filiação do empresário como colaborador da CIA.

Em 15 de abril de 1971 ele foi morto na capital paulista por militantes da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR), comandada por Carlos Lamarca.

Investigações posteriores revelaram que Lamarca planejava executar ainda os empresários Pery Igel e Sebastião Camargo, que também supostamente davam suporte financeiro à repressão aos grupos armados de esquerda.

Em 1970, a OBAN, embora ainda conhecida como tal, ela já está mais legalizada. Esta enquadrada pelo Destacamento de Operações de Informações/Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-CODI). Funciona ainda como OBAN, mas ao colocá-la sob a jurisdição do DOI-CODI, pretendia-se diminuir a sua autonomia, o que ´na prática não acontecerá. Em 1970, quem comanda a OBAN – oficialmente o DOI-CODI – é Carlos Alberto Brilhante Ustra, major de artilharia do Exército, conhecido também, nas rodas da tortura, pelos codinomes de Major, Doutor Silva e Doutor Tibiriçá.

A ação da OBAN, como dos demais órgãos de repressão aos grupos terroristas de esquerda, só começou a arrefecer para enfim cessar a partir da abertura lenta e gradual promovida pelo presidente Ernesto Geisel. A morte de sua principal autoridade civil, o delegado Sérgio Paranhos Fleury, sepultou a história daquele período.

Parte desta história começou a ser revelada no início dos anos 90 com a descoberta da vala clandestina do cemitério de Perus e as investigações da Comissão Parlamentar de Inquérito da Câmara Municipal. Corpos de indigentes, vítimas do esquadrão da morte e presos políticos, mostravam que a vala foi depósito de todo tipo de violência do regime militar

=============================================================================================================





Brasil: O museu da tortura



Reportagem: Daniel Zanini H. Imagenes e edição: Karine Batista ... tortura museu brasil brazil ditadura militar tel esur ...

(clique)

http://www.youtube.com/v/jXRkJ6m01MQ&hl=pt-br&fs=1">





Memórias da Ditadura

(clique)

http://www.youtube.com/v/itCbMSezTus&hl=pt-br&fs=1">

-----Anexo incorporado-----


_______________________________________________
Cartaoberro mailing list
Cartaoberro@serverlinux.revistaoberro.com.br
http://serverlinux.revistaoberro.com.br/mailman/listinfo/cartaoberro

Comando Ambiental

Comando Ambiental da BM avalia novo texto do código do meio ambiente do RS
02/09/2009 17:32


Nesta quarta-feira (02), em Porto Alegre, o Comando Ambiental da Brigada Militar (CABM) reuniu-se com representantes de Organizações Não-governamentais ambientalistas (ONGs), de assessorias parlamentares da Assembleia Legislativa e da Câmara de Vereadores de Porto Alegre para tratar da desconformidade da Corporação com o Projeto de Lei 154/2009, que propõe um novo Código Estadual do Meio Ambiente.

Em alguns artigos o projeto de lei restringe a atuação da polícia ostensiva de proteção ambiental no Rio Grande do Sul, o que provocaria um retrocesso no avanço obtido ao longo dos últimos anos, na fiscalização dos ilícitos contra o meio ambiente, de acordo com a manifestação da Assembleia Permanente em Defesa do Meio Ambiente (Apedema), que congrega as ONGs.

“Estaremos nos lançando ao trabalho de convencimento da área política para a aprovação das propostas da Corporação, assim que o Comando Geral da Brigada Militar deliberar sobre o assunto”, afirma o comandante do CABM , tenente-coronel Eduardo Passos Mereb.

Os participantes da reunião entendem que um novo texto para o Código Ambiental do RS merece ampla discussão com os diversos segmentos da sociedade. O PL 154 foi apresentado em julho pela Comissão de Agricultura da Assembleia e tramita no parlamento.

Fonte: PM5-Imprensa/BM

Canal Livre


Tendo em conta as centenas de emails enviados para a Carta O Berro. de pessoas que se esqueceram do nosso aviso feito com antecedência, ou outras que não puderam assistir no horário previsto,
estamos enviando por partes, os vídeos da entrevista realizada pela TB Bandeirantes, no Canal Livre, com esse inescrupuloso agente triplo (*), da Marinha, do DOPS e da CIA, infiltrado entre os marinheiros
e nas organizações dos combatentes a ditadura no Brasil.


CANAL LIVRE

São seis vídeos com toda a entrevista do agente triplo, cabo Anselmo, desde 1963 infiltrado nos movimentos sociais da marinha e depois nas organizações que
combatiam a ditadura no Brasil. Responsável por torturas, mortes e desaparecimentos dos resistentes ao regime militar. Não poupou sequer a
sua companheira Soledad Barret , gravida de um filho seu.

(clique nos links abaixo que estão pela ordem de apresentação)


http://videos.band.com.br/v_33385_brasil_cabo_anselmo_reaparece_apos_40_anos.htm


http://videos.band.com.br/v_33458_canal_livre_programa_deste_domingo_recebeu_o_cabo_anselmo.htm


http://videos.band.com.br/v_33469_participantes_do_golpe_militar_dao_declaracoes_–_2.htm


http://videos.band.com.br/v_33479_cabo_anselmo_fala_sobre_a_relacao_das_guerrilhas_mundiais_3.htm


http://videos.band.com.br/v_33473_cabo_anselmo_fala_sobre_a_estrutura_politica_durante_o_golpe_4.htm


http://videos.band.com.br/v_33475_cabo_anselmo_fala_sobre_o_mst__5.htm



(*)-Diretor do Dops carioca à época do golpe afirma que antes agente duplo da ditadura já era informante
De acordo com Cecil Borer, Cabo Anselmo colaborava com o Dops, o Cenimar e "americanos';


-----Anexo incorporado-----


_______________________________________________
Cartaoberro mailing list
Cartaoberro@serverlinux.revistaoberro.com.br
http://serverlinux.revistaoberro.com.br/mailman/listinfo/cartaoberro

Teatro

Encontros com o Professor


Na próxima quinta-feira, dia 10 de setembro, Ostermann recebe o músico Nivaldo Ornelas para entrevista e canja. É quinta que vem, às 19h30min, no StudioClio. Até lá!



Saiba um pouco mais



Nivaldo Ornelas é saxofonista, flautista, compositor e arranjador. Foi um dos fundadores do Berimbau Jazz Clube, ponto de encontro dos músicos mineiros nos anos 1960. Logo depois, participou do Clube da Esquina, movimento musical mineiro que também contava com Milton Nascimento, Lô Borges, Fernando Brant, Flávio Venturini, para citar alguns nomes. Entre os festivais que tomou parte, destacam-se o Free Jazz (RJ/SP), Tudo é Jazz (Ouro Preto), Tim Festival (RJ/SP), Búzios Jazz e Blues, além de alguns dos festivais de maior prestígio no exterior, como Montreux (Suíça), Live Under the Sky (Japão), Chicago Jazz Festival (EUA), Festival de Estoril (Portugal) e Newport Jazz Festival (EUA). Sua arte abrange também composições para cinema, teatro e balé. Entre os prêmios que recebeu, estão: o de Melhor Trilha sonora para a peça "O Encontro Marcado", de Fernando Sabino, o de Melhor Música Original para o filme "A Dança dos Bonecos", de Helvécio Ratton. Nivaldo Ornelas possui doze discos como solista, destacando: "Portal dos Anjos" - Troféu Villa-Lobos; "Viagem Através de um Sonho" - Troféu Chiquinha Gonzaga; "À Tarde" (França); "Som/Fantasia" (editado também em Portugal); "Aquarelas - A Música de Ary Barroso", "Arredores" - Prêmio Sharp. Nos últimos anos, Nivaldo trabalhou como solista com a Rio Jazz Orchestra, a Orquestra de Jazz de Curitiba, e atuou e gravou com a UFRJazz Ensemble. Foi convidado do Projeto Circular Brasil, da Série MPB & Jazz, e coordenou o Rio Jazz Instrumental no Teatro da Caixa Econômica. Em 2009, as atenções estão voltadas para o CD "Fogo e Ouro", lançado pelo selo SESC - Amigos no Tom.













Patrocínio Apoiadores Realização

Ótima

Poa, 03/09/09

É isso aí...

Beijos.

Deise Nunes.

Uma mulher estava passando de carro por uma rua e ao parar no sinal de trânsito foi abordada por uma moradora de rua, muito suja e de péssimas aparência, que pediu a ela dinheiro para comprar comida.
A mulher pegou a carteira da bolsa, tirou R$ 50 e perguntou: 'Se eu te der este dinheiro, você não vai sair com tuas amigas e gastar tudo?'

'Que é isso, dona, eu não tenho amigas.. Moro na rua.'

'Você não vai sair aí pelas lojas gastando?'

'Não, eu não entro em loja porque não deixam e gasto meu dinheiro só com comida.'

'Você não vai usar para ir a um salão fazer cabelo e unhas?'

'A senhora tá maluca? Faz uns vinte anos que não sei o que é salão.'

'Bom, a mulher disse, 'Eu não vou te dar o dinheiro. Entre aqui no carro que eu vou te levar para jantar comigo e meu marido esta noite.'

A mendiga ficou pasma. 'Mas teu marido não vai ficar furioso com você? Eu não tomo banho faz muito tempo, estou suja e fedorenta.'

'Não faz mal. Entre aí. Quero que ele veja como fica uma mulher quando ela para de sair com amigas, fazer compras e ir ao salão." '

Estranho Caso Clínico

Estranho caso clínico

O parto foi através de cesariana, pois até a data prevista 31/3 não houve sinais, então optamos pela cirurgia.

Pedro nasceu muito bem. Chorou logo e teve nota 9 de Apgar.

Nasceu com 48 cm e pesou 3,430kg.

Seu primeiro ano de vida foi ótimo, com desenvolvimento perfeito e nenhuma
doença.

Sentou com cinco meses, andou com 11 meses, disse as primeiras palavras com
7 meses e antes disso já emitia sons naturais de um bebê.

Com um ano e dois meses, certa tarde durante o sono, Pedro acordou
assustado como estivesse se engasgando.

Isso se repetiu por mais alguns dias até que fomos ao médico...

Este viu uma crise, suspeitou de refluxo-gastresofágico e solicitou alguns
exames..

Nesta época, estas crises aconteciam mais ou menos 10 vezes ao dia e
duravam aproximadamente 15 segundos.

Como os exames não acusaram nada, por indicação do médico, procuramos um
neurologista infantil que disse tratar-se de crises convulsivas.

Fizemos um primeiro eletro encefalograma que foi normal.

Procuramos o Dr.Salomão Schwartzmam, que o avaliou e considerou-o logicamente perfeito.

Nesse período, as crises aumentavam em quantidade e intensidade.

Assim, em agosto de 90 ele foi internado na UTI pela primeira vez com aproximadamente uma crise a cada 3 minutos.

Ficou no Hospital 20 dias e saiu com as crises mais controladas. Fez uma Tomografia Computadorizada que foi normal.

O segundo eletro acusou foco irritadiço do lado direito cérebro.

Apesar de tudo isso, seu desenvolvimento continuava normal, porém mostrava-se mais sonolento.

As crises continuavam; eram crises mistas.

Em outubro de 90, percebemos que ele estava sorrindo menos, chorando menos e que quando sorria, o lado esquerdo de seu rosto parecia paralisado.

Em novembro de 90, percebi que ele usava menos o braço esquerdo. Os médicos chamaram de seqüelas. Em dezembro de 90, fizemos uma ressonância magnética de crânio, um exame de Fundo de Olho alguns exames para detectar erros inatos do metabolismo. Todos os exames foram normais...

Nessa época, ele já apresentava dificuldade para caminhar e falava menos. Mantinha uma média de mais ou menos 20 crises por dia.

No decorrer de sete meses mudamos de médicos por diversas vezes vários anticonvulsivantes foram testados.

Porém o efeito nunca era totalmente satisfatório.

E esteve internado mais duas vezes para controlar crises mais frequêntes Em janeiro de 91, Pedro foi internado mais uma vez e saiu do hospital sem andar, sentar ou falar.

Em fevereiro, novamente foi internado com crises muito fortes, ficou 20 dias no Hospital.

As crises já duravam 1 min, manifestando-se a cada 10 min.

Nessa ocasião, foi medicado com cortisona e fez vários exames de Metabolismo, porém nada foi encontrado...

A habilidade motora dele ficou debilitada.

Quando teve alta, não segurava a cabeça, não sentava sozinho e parecia não reconhecer ninguém, além de não fixar o olhar em nada.

O tempo foi passando, e com seções de fisioterapia e muito carinho Pedro foi conseguindo alguns pequenos progressos.

Continuávamos nossa maratona em médicos e exames, porém nada acontecia.

Suas crises ficaram um pouco mais controladas, manifestando-se somente durante o sono, aproximadamente 8 episódios por noite, com duração de cerca de 1 min.

No final de 95, ele ficou alguns dias consecutivos sem apresentar crises.
Nestes últimos anos, repetiu alguns exames, porém nada de novo foi encontrado.

Teve complicações pulmonares e tomou muito antibiótico. Nos últimos meses de 95, Pedro readquiriu o controle da cabeça e ganhou maior firmeza no tronco.

Passou a fixar o olhar nas pessoas e objetos, porém ainda não manifestando desejo de pegá-los.

Seu rosto ficou mais expressivo, apesar de ainda não rir ou chorar.

Em janeiro de 96, repetimos a Ressonância Magnética que se apresentou tal e qual a anterior, segundo o médico que assinou o laudo.

O Dr. Fernando Arita, seu médico atual, diagnosticou que Pedro tem um cérebro um pouco menos denso do que uma criança de 7 anos...

Repetimos também o eletro encefalograma, que se apresentou bem melhor que o anterior, com crises mais localizadas. Fizemos também, um estudo
de Cariótipo (pai, mãe e filho) com a Dra..Rita de Cássia Stoco e nada foi encontrado.

Disse suspeitar de Doenças Mitocondriais e sugeriu que fizéssemos um estudo de DNA. Foi feita também, uma dosagem de aminoácidos no sangue e
cromatografia de açúcares na urina.

Atualmente, Pedro mantém cerca de 4 crises convulsivas durante o sono, principalmente a partir das horas da madrugada. Em suas crises estica
braços e pernas, gira a cabeça para a esquerda e chora.

Duram cerca de 45 segundos. Sua atenção continua fixa nas pessoas e objetos, porém não se movimenta espontaneamente.

Readquiriu razoável controle de tronco, porém não senta, não fica em pé, não fala, não sorri ou chora.

De dois anos para cá, desenvolveu uma escoliose bastante preocupante. Está medicado com Rivotril, Valpakine e Tryleptal.

Pedro, atualmente, está com 15 anos. Durante todos estes anos, não encontramos uma resposta para o que acontece com Pedro, e, também nunca
encontramos alguém com problema semelhante para trocar experiências.

Se você puder ajudar, se for médico ou já conheceu alguma criança com o mesmo problema, por favor, nos escreva.

Se não, passe essa mensagem para frente para que encontre o destino certo.



Muito Obrigado,

Liane e Manoel.

Nosso endereço: Rua Conselheiro Brotero, 1559 apto 134 CEP 01232-011 São
Paulo - SP - BRASIL

Fone: (11) 3662.4826



PS: O simples fato de repassar esta mensagem, já é por si só, um ato de solidariedade. Peço a todas as pessoas que receberam esta mensagem que, por favor, tentem se conscientizar da necessidade que nós, seres
humanos,temos de receber a ajuda um do outro.

Enviem essa mensagem para todas as pessoas da sua lista, desde aquela que você escreve todos os dias, até a pessoa que você não escreve há muito tempo...

Assim poderemos, quem sabe, ajudar essa família...

'Fica sempre um pouco de perfume nas mãos que oferecem rosas (...)






--------------------------------------------------------------------------------

Banda Ataque Colorado


Banda Ataque Colorado lança o quarto CD - 100 Anos de Glórias
--------------------------------------------------------------------------------


Qualquer semelhança não é mera coincidência, o único campeão de tudo das Américas também tem o pioneirismo de ter uma banda oficial. É a banda Ataque Colorado de sucesso confirmado, lançando agora já seu quarto CD - 100 Anos de Glórias.

A banda Ataque Colorado de sucesso confirmado lança agora já seu quarto CD - 100 Anos de Glórias - exclusivamente de músicas sobre o Internacional e suas tantas glórias. E não é qualquer banda. A Ataque Colorado foi testada e aprovada pela torcida, as músicas são cantadas nos jogos lotados por todos os colorados. O Beira-Rio ferve com pura alegria e vibração. O trio é presença garantida na Festa do Centenário no próximo dia 17 de dezembro, no Beira-Rio.

O novo trabalho dos músicos Peppe Joe, Kako Kanidia e Guilherme Barros - os colorados da banda Maria do Relento - tem o título Cem Anos de Glórias. “Sem dúvida é o melhor trabalho do grupo”, garante Kako. O álbum conta com novas faixas que homenageiam os ídolos atuais do Inter, como Índio, Guiñazu, Taison e D’Alessandro. O CD também resgata algumas músicas clássicas da torcida, como 'Papai é o Maior'. Além disso, conta com a já famosa 'Camisa Vermelha', versão do sucesso Pelados em Santos dos Mamonas Assassinas, e 'Só Te Peço Esse Campeonato' aparece em uma versão única, baseada na versão original da banda argentina Turf, totalmente aprovada pelos hermanos.

Destaque também para as participações especiais de outros coloradaços. Armandinho e Rafael Malenotti, da Acústicos e Valvulados, participam deste grande projeto. Os três álbuns anteriores, Ataque Colorado I, Ataque Colorado II e As Melhores do Ataque Colorado, fizeram enorme sucesso. Prova disto é o Disco de Ouro devido às 50 mil cópias da coletânea As Melhores do Ataque Colorado I e II. O prêmio foi entregue aos músicos colorados pelo presidente Vitorio Piffero num palco armado no gramado do Beira-Rio no dia 4 de abril, data que marcou o Centenário do Clube.

A banda Ataque Colorado já é tradicional em grandes eventos do Inter Brasil afora. Nas celebrações promovidas pelos consulados colorados, a banda leva à festa o clima dos jogos no estádio Beira-Rio. Com essas credenciais, o CD Ataque Colorado – 100 Anos de Glórias, lançado numa parceria com a gravadora ACIT, tem tudo para estar na trilha sonora de todos os colorados. É indispensável! Você pode comprar o seu nas lojas oficiais do Inter e demais lojas do ramo, como Multisom, ou ainda encomendar o seu CD pelo e-mail cd@ataquecolorado.com.br
Mais informações no site http://www.ataquecolorado.com.br/.







Você recebeu este e-mail porque faz parte da nossa lista de contatos. Se quiser ser removido acesse este link .


Este informativo foi gerado a partir do sistema iSend. Para obter informações acesse este link.
Use e-mail. Não use papel.

Marido e Mulher

Poa, 04/09/09

Bom dia,

Quanta delicadeza!!!

Desejo que tenhas um ótimo fim de semana.

Beijos.

Deise Nunes.


Enquanto tomam café, a mulher vira para o marido e diz:
- "Pois é... ontem a noite, enquanto dormia, você me xingava o tempo inteiro..."
No que ele responde:
- "E quem te disse que eu estava dormindo?"

-o-o-o-o-o-o-o-

A mulher para o marido:
- "Alberto, nunca lhe passou pela cabeça me comprar flores?"
- "Para que se você ainda está viva?"

Comentário do Leitor

ABRAÇO deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Rádios Comunitárias":

Parabéns pelo trabalho! publiquei a notícia em www.abracocentrooeste.ning.com ABRAÇO FORTE



Postado por ABRAÇO no blog Jornal Negritude em 4 de Setembro de 2009 04:29

Enterro de Michael Jackson


Termina o enterro de Michael Jackson
Sex, 04 Set, 02h22



Los Angeles (EUA), 3 set (EFE).- A família e os amigos de Michael Jackson deram seu último adeus ao "rei do pop", sepultado hoje no cemitério Forest Lawn, de Glendale, no condado de Los Angeles, mais de dois meses após sua morte.

PUBLICIDADE


O enterro, que foi apenas a familiares e amigos do músico, começou com mais de uma hora e meia de atraso, por volta das 20h30 locais (0h30 de sexta-feira em Brasília).


O sepultamento aconteceu ao ar livre em um anexo ao Terraço Sagrado do Grande Mausoléu do cemitério, onde se encontra o túmulo do cantor.


Entre os convidados estavam os astros de Hollywood Elizabeth Taylor e Macaulay Culkin, e o reverendo Jesse Jackson.


A lista de personalidades publicada pela imprensa inclui ainda a diva Diana Ross, as atrizes Brooke Shields e Mila Kunis, o cantor Steve Wonder, e Lisa Marie Presley, ex-mulher de Michael.


A cerimônia durou mais de uma hora e contou com a apresentação de Gladys Knight, artista que conhecia Michael desde que era criança.


A família do "rei do pop", com seus pais, Joe e Katherine, à frente, ocuparam a primeira fila de assentos, onde também estavam seus irmãos e seus três filhos, Prince Michael, Paris e Prince Michael II.


As fortes medidas de segurança em volta do cemitério desde o começo desta quinta-feira evitaram as aglomerações dos fãs do "rei do pop" que, com a impossibilidade de se aproximar do funeral, acabaram optando por ficar em casa.


Ao término da cerimônia, a comitiva de veículos dos presentes no funeral se dirigiu ao restaurante italiano Villa Sorriso, em Pasadena, a 12 quilômetros do cemitério, em um ato considerado uma "celebração da vida do 'rei do pop'". EFE