Rádio WNews

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Lei das Cooperativas


Lei das Cooperativas – Trabalhadores reivindicam sua aplicação



Cerca de 40 cooperativados, representando seis escolas municipais localizadas na Restinga, debateram a Lei 10.687, de autoria da vereadora Sofia Cavedon (PT),que foi promulgada em junho deste ano garantindo aos trabalhadores cooperados o cumprimento de obrigações sociais básicas.



Presente no encontro a vereadora Sofia esclareceu os trabalhadores que estão preocupados com a falta da aplicação da Lei. Ela informou que, segundo a Secretaria Municipal de Educação (Smed) um mandato de segurança suspendeu provisoriamente a licitação lançada em setembro, ocasionando a prorrogação do contrato até dezembro com a atual Cooperativa que presta serviços a Rede Municipal de Ensino – Cooperativa Riograndense (Cootrario). “Solicitamos cópia do contrato temporário a Smed e encaminharemos ao Ministério Público Estadual (MP) para saber de sua regularidade”, disse Sofia.



Ações

No encontro foi constituída uma Comissão Representativa das Escolas da Restinga que mobilizará as próximas ações em relação às alterações que a Lei prevê. Outra ação definida será um abaixo-assinado solicitando a imediata aplicação da Lei, inclusive nos contratos em vigência, como prevê a própria legislação. O documento será entregue ao prefeito José Fogaça.



Os cooperativados também se queixam da insegurança em relação ao pagamento do INSS e do demonstrativo de pagamento do pró-labore que a Cootrario fornece. “O demonstrativo não tem valor nenhum para crédito e bancos, pois nem mesmo a identificação da Cooperativa é colocada”, denunciaram.



A Lei
A Lei 10.687/09 estabelece que para trabalhar para a prefeitura, as cooperativas terão que ter um ano de existência, comprovados com lista de sócios e atas de assembléias. E terão, salienta a vereadora, que garantir aos trabalhadores associados remuneração pelo trabalho não inferior ao piso da sua respectiva categoria ou semelhante; garante também vale alimentação, vale transporte, atendimento médico e assistência previdenciária.

As cooperativas terão ainda que comprovar a retirada mensal dos cooperativados, a distribuição das sobras aos mesmos e o valor correspondente à taxa de administração e a existência de Fundo para a concessão de repouso anual remunerado de, pelo menos, 15 (quinze) dias aos cooperativados. O fornecimento de equipamentos de proteção individual (EPIs) aos cooperativados, em quantidade e qualidade adequados à prestação de serviços com segurança também são garantidos na Lei. Ficando vedado o desconto do valor desses equipamentos da remuneração dos trabalhadores.



Fonte: Vereadora Sofia Cavedon - 51.9953.7119



Foto: Paola Carvalho



Porto Alegre, 07 de Outubro de 2009.



Jorn. Marta Resing/5405

Ass. Comunicação

Gab. Ver. Sofia Cavedon/PT

51.9677.0941

Policias chegaram Gritando

05/10/2009 | N° 10549AlertaVoltar para a edição de hoje HOMICÍDIO
‘Os policiais chegaram gritando’
ENTREVISTA: Clodoaldo Antonio Pinto da Silva O dono do bar onde Everton Zenato foi morto, Clodoaldo Antonio Pinto da Silva, o Vacaria, já prestou depoimento à Polícia Civil e, nesta entrevista, relata ao Pioneiro o que viu dentro de seu estabelecimento na noite de sexta-feira. Confira:

Pioneiro: Como estava o bar quando os policiais chegaram?

Clodoaldo Antonio Pinto da Silva: Havia umas 30 pessoas porque fizemos uma janta. Havia famílias, crianças. Estava tudo tranquilo. Os policiais chegaram gritando, chutando tudo. Não havia necessidade.

Pioneiro: Alguém reagiu à revista?

Silva: Ninguém reagiu. Foi todo mundo encostado na parede. Até minha mulher, que estava com nossa nenê de dois anos no colo, foi empurrada. Revistaram tudo, mas não encontraram nada.

Pioneiro: Você viu como Zenato foi morto?

Silva: Eu presenciei de frente, bem de perto. Nem gosto de me lembrar. O Zenato estava de frente para o policial. O policial chegou nele gritando: “já te falei vagabundo, posição de revista”. Quando o policial tentou virar o Zenato para a parede, a pistola caiu. Depois de ser atingido, o Zenato ainda falou: “bah, levei um tiro”. Ele foi levado logo para um hospital pelos próprios policiais, mas saiu daqui já muito mal. Nem gosto de me lembrar.

Pioneiro: Na sua opinião, foi despreparo ou fatalidade?

Silva: Acho que foi uma fatalidade, mas poderia não ter ocorrido. Essa morte é fruto também de despreparo. Inadmissível.



anterior lista | imprimir | enviar | letra A -| A + próxima

Morte de Motorista


05/10/2009 | N° 10549AlertaVoltar para a edição de hoje HOMICÍDIO
Zenato deixa dois filhos Everton Zenato sempre viveu no bairro Castelo. Foi caminhoneiro, mas atualmente trabalhava como motorista autônomo e fazia biscates. Era conhecido por ser brincalhão, cantar e tocar violão.

– Ele adorava uma festa. Gostava de beber, mas não arrumava briga – conta a tia Clélia Zenatto Carbonera, 48.

Zenato era solteiro e, atualmente, vivia com os pais. Ele deixa dois filhos, Wellington, 11, e William, 10.

– Ele adorava os filhos, vivia falando deles. A morte dele é uma injustiça – diz Wilson Ramos, dono de outro bar que Zenato frequentava.

O motorista foi sepultado sábado, em Ana Rech.

Motorista Morto


05/10/2009 | N° 10549AlertaVoltar para a edição de hoje HOMICÍDIO
Motorista morre durante revista
Arma de policial militar que participava de operação caiu no chão e disparou, atingindo Everton Zenato Caxias do Sul – Uma ação policial realizada pelo Pelotão de Operações Especiais (POE) da Brigada Militar (BM), na noite da última sexta-feira, terminou com a morte do motorista Everton Zenato, 39 anos. O caxiense levou um tiro dentro de um bar, no bairro Castelo, após um disparo supostamente acidental da arma de um policial, durante uma revista.

A morte ocorreu por volta das 23h, pouco depois que sete policiais entraram no bar Vacaria, na Rua Governador Euclides Triches. Havia cerca de 30 pessoas no local, onde ocorria um jantar com pão e salsichão e show com música ao vivo. Durante a revista a Zenato, a arma de um soldado, uma pistola calibre 40, teria caído no chão com o cano para cima e disparado acidentalmente. A bala entrou pela coxa esquerda e saiu pelo ombro, segundo a ocorrência policial.

O dono do bar, Clodoaldo Antonio Pinto da Silva, 38, o Vacaria, presenciou de perto a morte. Ele confirma que a arma caiu no chão. Mas reclama que a morte poderia ter sido evitada se ação fosse menos violenta.

– Acho que é uma fatalidade, mas poderia não ter ocorrido. Eles (policiais) chegaram gritando, chutando tudo. Não havia necessidade. Estávamos jantando tranquilamente. O Everton não reagiu em nenhum momento, assim como nenhum outro cliente. Essa morte é fruto de despreparo para a operação – afirma.

– Ninguém esboçou reação nenhuma. Essa morte só ocorreu porque houve abuso de autoridade – confirma Luis Talasca Novelli, 32, que ajudava a preparar o jantar.

No sábado, o bar permaneceu fechado. Na entrada do estabelecimento, Silva, que era amigo da vítima, colou dois cartazes com a palavra “luto”. Nada foi apreendido no bar e não houve prisão.

Onze anos de experiência – O soldado envolvido no episódio atua na BM, em Caxias, há 11 anos. Ele não tem registro anterior de má conduta, segundo o tenente-coronel Júlio Cesar Marobin, comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar. O nome do policial será preservado até o esclarecimento do caso.

– Ele é um dos bons soldados que temos, inclusive para operações de alto risco. Só com a investigação se saberá, ao certo, o que aconteceu. Era para ser uma operação de rotina, como outras que, este ano, já resultaram na apreensão de 196 armas de fogo, além de drogas – diz Marobin.

A Brigada Militar não entregou a arma à Polícia Civil, segundo Marobin, por se tratar de crime militar, e conduzirá investigação própria sobre a ocorrência por meio da Polícia Judiciária Militar. O Instituto-Geral de Perícias (IGP) fará o laudo técnico sobre o estado da arma. As acusações de truculência, completa Marobin, também serão investigadas pela corporação. Já foi nomeado um oficial para conduzir o Inquérito Policial Militar (IPM).

– Para nós, como a arma caiu, é secundário. O mais importante agora é descobrir por que a pistola disparou. Esse tipo de arma possui um sistema de proteção que inibe disparos acidentais – ressalta Marobin.

Paralelamente à investigação militar, a Polícia Civil tenta desvendar o caso. Na noite do crime, foi feita perícia no local e um inquérito está instaurado, segundo o delegado regional, Paulo Roberto Rosa da Silva.

– Vamos investigar com transparência, base técnica de perícia e depoimentos de pessoas que presenciaram o episódio – garante.

nadia.detoni@pioneiro.com

NÁDIA DE TONI

Diretor Carioca em Porto Alegre


Olá Pessoal da Imprensa,

Por favor, divulguem essa grande e última oportunidade, nunca se sabe quando vamos encontrar talentos como Mariana Brum, John Robert, Anderson Cicconne, Matheus Paranhos, Leandro Borges, Angela Aita, Rafael Franskowiak, Gabriela Ramos, Thatiana Moraes, Patricia Martins, Raisa Rocha e TANTOS OUTROS (todos Gaúchos e Catarinenses) que trabalharam comigo nos espetáculos “LABIRINTO KAFKA” E “MULHERES DE SANGUE”. Além dos que passaram pela metodologia dos RITOS nesse último ano e meio; foram mais de 80 pessoas, entre Porto Alegre, Farroupilha e Alvorada. Portanto, vamos divulgar e dar oportunidade para que novos atores e atrizes possam participar do meu último Workshop em PORTO ALEGRE- Uma cidade que tem a cultura no sangue e na alma.

Quero aproveitar para agradecer a todos que fizeram do meu trabalho uma realidade nessa cidade e em todo o estado, incluindo a imprensa, que tão bem divulgou nosso trabalho, a cultura é levada a sério em todo o Rio Grande. Muito obrigado a todos. Meu primeiro longa metragem começa a ser filmado em 04 de janeiro – Vamos fazer a maratona das filmagens em 4 semanas – não temos dinheiro para mais tempo, hehehehhe – Em fevereiro começa as gravações de uma novela que vou dirigir no Rio de Janeiro: novos tempos, novos trabalhos, novos horizontes. A Confraria dos Ritos e os seus principais integrantes (nomes citados acima), já estão de malas prontas: nossa mudança para a Cidade Maravilhosa- Além da Copa e das Olimpíadas, o Rio também será a nova sede do Grupo Teatral > CONFRARIA DOS RITOS que começou nos porões do Theatro São Pedro - POA e agora ganha o Brasil. Nosso último trabalho em Teatro em Porto será o espetáculo: “QUINTA ESTAÇÃO” – NO ÂMAGO VICERAL DAS PAIXÕES - TEMPORADA > DE 17 A 20 DE DEZEMBRO – ÀS 00h00min (MEIA NOITE) - PROIBIDO PARA MENORES DE 18 ANOS – NA CASA DE CULTURA MARIO QUINTANA –



Um abraço forte a todos e mais uma vez,

Obrigado. De coração.

Janssen.





DIRETOR CARIOCA FAZ CINEMA EM PORTO ALEGRE COM SELEÇÃO DE ATORES E ATRIZES

OFICINA DE INTERPRETAÇÃO PARA TEATRO E CINEMA

Com diretor carioca, Janssen Hugo Lage, criador da Metodologia dos Ritos e do Teatro Fractal -

Período: Outubro a Dezembro de 2009.

INÍCIO: DIA 09 DE OUTUBRO - SEXTA FEIRA – DAS 19h às 22h

BATE PAPO COM AULA – ENTRADA FRANCA –

PARA TODAS AS IDADES

Local: Casa de Cultura Mário Quintana

DEPOIS DE REALIZAR EM 2009 – “LABIRINTO KAFKA” E “MULHERES DE SANGUE” NO THEATRO SÃO PEDRO COM SUCESSO ABSOLUTO, O DIRETOR CARIOCA MINISTRA SEU ULTIMO WORKSHOP EM PORTO ALEGRE, AGORA VOLTADO PARA INTERPRETAÇÃO PARA TEATRO E CINEMA- NO FIM DO CURSO HAVERÁ UMA SELEÇÃO PARA ESCOLHA DE ATORES E ATRIZES PARA O SEU PRIMEIRO FILME DE LONGA METRAGEM: “SEM PALAVRAS” – QUE SERÁ TODO RODADO EM POA E EM ALGUMAS CIDADES DO RS. O INICIO DAS FILMAGENS SERÁ EM 04 JANEIRO DE 2010 – PERÍODO DE FILMAGEM: 4 SEMANAS.

Informações: 051- 9903.9703



Janssen Hugo Lage
janssen@confrariadosritos.com.br
celular: 51 9903.9703/ 8487.9349
www.kafka.com.br

Grêmio Empata


08 de outubro de 2009 | N° 16118AlertaVoltar para a edição de hojeROTINEIRO
Grêmio joga melhor com volantão. E só
Time de Paulo Autuori joga em cima do Atlético-PR mas não consegue chegar ao gol da vitóriaO Grêmio segue inconfiável longe do Olímpico. Ontem, na Arena, não soube tirar proveito de sua superioridade sobre o Atlético-PR, empatou sem gols e segue distante do G-4. Agora, precisa derrotar o Corinthians, sábado, no Pacaembu, para cumprir a meta de conquistar quatro dos seis pontos disputados fora de casa e ainda seguir com chances de disputar a Libertadores.

Paulo Autuori surpreendeu na escalação e no planejamento tático da equipe. Contrariando suas convicções, o técnico abriu mão de dois volantes móveis e começou com Tulio no lugar de Adilson. Reconheceu que, dessa forma, dava maior equilíbrio ao time.

O esquema funcionou. Com Tulio fixado na frente da área, a defesa não ficou tão exposta como em partidas anteriores. Houve um acréscimo adicional. Fábio Rochemback ganhou liberdade para atuar quase como armador. Foi, com sobras, sua melhor atuação desde a chegada ao Grêmio.

A postura cautelosa do Atlético-PR também permitiu que o Grêmio ficasse a maior parte do tempo com a posse de bola. O predomínio, no entanto, não foi traduzido em efetividade. Muito por culpa de Souza, que esteve apático e deixou os dois atacantes isolados entre os zagueiros. O único chute perigoso só saiu aos 41 minutos. Rochemback avançou pela esquerda e chutou cruzado, para boa defesa de Galatto.

Acuado, o Atlético-PR só levou perigo em falta cobrada por Paulo Baier, defendida por Marcelo Grohe.

Obrigado a vencer para distanciar-se da zona de rebaixamento, o Atlético-PR voltou do intervalo com Alex Mineiro no lugar de Marcinho. Com mais espaços, o Grêmio poderia ter definido a partida em dois lances quase seguidos. Aos cinco minutos, Tcheco recebeu de Maxi López e, já com Galatto vencido, chutou sobre Rafael Miranda. Um minuto depois, Tcheco cobrou falta da direita e Réver, sem marcação, cabeceou para fora.

Sem inspiração ofensiva, o time não passou disso. E ainda correu risco aos 25 minutos, quando Alex Mineiro avançou pela esquerda e chutou para defesa de Marcelo Grohe.

– Aqui, é muito difícil jogar. Não perdendo é suficiente – disse Souza.

Suspenso pelo terceiro cartão amarelo, ele desfalca o time contra o Corinthians, junto com Mário Fernandes.

ZERO HORA.com

Em vídeo e áudio, os gols da partida

Pilula de Cultura

Olá galera domingo agora tem Pilula de Cultura, edição especial ao dia das crianças, venha brincar com a gente e traga a garotada.

Horário: 11 outubro 2009 de 16:00 a 21:00
Local: Casa das Caldeiras
Organizado por: Feira pRETA

Descrição do evento: Pílula de Cultura Feira Preta edição especial "Brincando e Aprendendo"

"A Casa das Caldeiras se prepara para receber o dia das crianças"

No dia 11 de outubro a Casa das Caldeiras receberá uma edição especial das Pílulas de Cultura Feira Preta dedicada ao dia das crinças. Será uma dia criançada.

Pílula de Cultura: “Brincando e Aprendendo” Edição especial dedicada a criançada.

Outubro é o mês da garotada, já que no próximo dia 12 comemora-se o Dia das Crianças.

Brincando e aprendendo. E para aprender brincando, a Pílula de Cultura oferece uma programação animada para a criançada com roda de conversa sobre as experiências do “Prêmio Educar pela Igualdade Racial”, uma iniciativa da ONG CEERT, com algumas práticas pedagógicas premiadas pelo Educar para Igualdade Racial. Essa apresentação será em forma de diólogo, pensando a infância através de uma abordagem lúdica, pedagógica e normativa (lei 10.639/03) empregada em cada de prática.Serão três práticas: E ainda oficinas, contação de histórias. As atividades literárias farão parte da programação, com atividades lúdicas voltadas ao público infanto-juvenil: exibição do filme Vista Minha Pele (CEERT), desenho animado Kiriku, poesia e brincadeiras. E para encerrar o evento a apresentação do Jongo de Piquete.

Aproveite para levar para casa alguns livros sobre o tema.


Serviço: Pílulas de Cultura Feira Preta
11 de Outubro de 2009 - 16:00 às 21:00
Entrada Franca
Local: Av. Francisco Matarazzo, 2000 – Barra Funda - SP (próx. Shopping West Plaza)


Realização: Pretamultimidia, Parceria: Casa das Caldeiras, e Apoios: Proac - Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo e Governo de São Paulo, Centro Cultural da Espanha em São Paulo/AECID, CONE – Coordenadoria Especial do Negro de São Paulo e CEERT.


Pretainfo: (11) 3031-2374 E-mail: feirapreta@uol.com.br



Ver mais detalhes e RSVP em Feira Cultural Preta:
http://feirapreta.ning.com/events/event/show?id=2124435%3AEvent%3A105084&xgi=4mi8gKcJrNLpPa

_____________________________________________________________________________
Obs.: Este e-mail será enviado uma única vez.

Teatro


Release
COM FOTOS EM ANEXO.




Depois de levar mais de 5000 pessoas ao teatro com o fenômeno

Labirinto Kafka – www.kafka.com.br

O mago do teatro fractal, Janssen Hugo Lage, estreiou no último 23 de Setembro, no Theatro São Pedro sua mais recente criação:

"MULHERES DE SANGUE" - UMA VERSÃO POÉTICO-FEMININA DA REVOLUÇÃO FARROUPILHA



video do ensaio
http://www.youtube.com/watch?v=qqQayjpJ76I
Uma trajetória única e comovente de um dos mais célebres períodos da História do Brasil.




PRÓXIMA APRESENTAÇÃO – TEATRO DA UCS – CAXIAS DO SUL 25 DE OUTUBRO – 20h





ÚNICA APRESENTAÇÃO


RELEASE

‘Mulheres de Sangue’, peça inspirada na história da

Revolução Farroupilha no TEATRO DA UCS - CAXIAS



A Confraria dos Ritos apresenta, no dia 25 de OUTUBRO (DOMINGO), no Teatro da UCS - CAXIAS a peça ‘Mulheres de Sangue’, uma versão poético-feminina da Revolução Farroupilha. Esta é uma obra de ficção com narrativas baseadas em fatos reais. Com texto original de Janssen Hugo Lage e pesquisa de textos históricos de Leandro Borges, o espetáculo explora a visão das mulheres que em busca de justiça e igualdade, criaram uma tropa que, supostamente, atuaram durante o período da guerra com vigor e destreza unindo-se aos farrapos na luta contra as tropas imperialistas. Mulheres que não se conformaram em ficar apenas cuidando de suas casas e filhos, mas que decidiram ir aos campos de batalha lavar com o próprio sangue a honra e a liberdade de suas famílias. Através da visão dessas mulheres o espetáculo mostra, em sua narrativa ágil e teatral, o que representou a Guerra dos Farrapos que ocorreu no Rio Grande do Sul na época em que o Brasil era governado pelo Regente Feijó.



Espetáculo ‘Mulheres de Sangue’

A história mostra a infancia pertubada de Bento Gonçalves e suas visões de guerra através de um quadro que sempre aparecia nos seus sonhos e foi anunciado em relato a mãe com apenas 9 anos.

O espetáculo explora a visão das mulheres no período da Guerra dos Farrapos, rebelião gerada pelo descontentamento político que durou por uma década (1835 a 1845). O estopim para esta rebelião foi às grandes diferenças de ideais entre dois partidos: um que apoiava os republicanos (Liberais) e outro que dava apoio aos conservadores (Legalistas). Em 1835 os rebeldes Liberais, liderados por Bento Gonçalves da Silva, apossaram-se de Porto Alegre, fazendo com que as forças imperiais fossem obrigadas a deixarem a região. Começa então a ação de um grupo secreto de mulheres com talento com armas de fogo e exímias na equitação, uma tropa de ataque feminina nos pampas.

Após terem seu líder, Bento Gonçalves, capturado e preso durante um confronto ocorrido na ilha de Fanfa (no rio Jacuí), os Liberais não se deixaram abater e sob nova liderança (de António Neto) obtiveram outras vitórias. Em novembro de 1836, os revolucionários proclamaram a República em Piratini e Bento Gonçalves, ainda preso, foi nomeado presidente. Somente em1837, após fugir da prisão, é que Bento Gonçalves finalmente assume a presidência da República de Piratini. Foi preciso engendrar uma manobra incomum para conquistar um ponto que pudesse ligar o Rio Grande dos farrapos com o mar. Este ponto era Laguna – no texto chamado de Lagos -, em Santa Catarina. O primeiro passo era constituir a Marinha Rio-Grandense. Giuseppe Garibaldi conhecera Bento Gonçalves da Silva ainda na prisão, no Rio de Janeiro, e obteria dele uma carta de corso para aprisionar embarcações imperiais. Em 1º de setembro de 1838, Garibaldi é nomeado capitão-tenente, comandante da marinha Farroupilha. Mesmo com as forças do exército da regência, os farroupilhas liderados por Davi Gonçalves, conquistaram a vila de Laguna, em Santa Catarina, proclamando, desta forma, a República Catarinense. Onde mais uma vez a participação da tropa de mulheres foi decisiva. Ali nasce o amor entre Anita e Giuseppe em meio a guerra e muitas intrigas. Entretanto, no ano de 1842, o governo nomeou Luiz Alves de Lima e Silva para comandar as tropas que deveriam aniquilar os farroupilhas. Apos três anos de batalha e várias derrotas, os Farrapos tiveram que aceitar a paz proposta por Duque de Caxias. Com isso, em 1845, a rebelião foi finalizada.



Janssen Hugo Lage

Janssen Hugo Lage é brasileiro, dramaturgo, encenador, produtor e iniciou seu trabalho em produções teatrais em 1983. Diretor da Mega Produção - OTELO em 1999, como o ator Norton Nascimento no principal papel, levou mais de 100.000 pessoas ao teatro em seis meses de temporada por todo o país. Após um período de quase cinco anos realizando projetos teatrais e culturais na Europa (2000-2005), Janssen retoma sua carreira no Brasil em 2008 com o projeto ‘Labirinto Kafka’- que levou mais de 5.000 pessoas ao teatro. Espetáculo que deu continuidade a um trabalho intensivo na aplicação da sua linguagem para interpretação cênica: Ritos Método do Ator, onde a encenação utiliza-se de uma seqüência de fragmentos que revelam ao público o universo no qual Franz Kafka trabalhou por toda a sua vida.

Ficha Técnica:





TEXTO, ENCENAÇÃO, CENARIOS E FIGURINOS: JANSSEN HUGO LAGE

ASSIST. DE ENCENAÇÃO, CENÁRIOS E FIGURINOS: GABRIELA RAMOS

PESQUISA E TEXTOS HISTÓRICOS: LEANDRO BORGES

MUSICA ORIGINAL: ALEXANDRE MONTAURY

ILUMINAÇÃO: VICENTE GOULART

PREPARAÇÃO VOCAL: MARIANE OSELAME

PREPARAÇÃO CORPORAL: MARIANA BRUM

IDENTIDADE VISUAL E FOTOGRAFIA: LAERCIO LACERDA

ASSESSORIA DE IMPRENSA: RAQUEL WÜNSCH

DIREÇÃO DE MOVIMENTO: JOHN ROBERT

DIREÇÃO MUSICAL: CRISTIANO BION LORO

CANTORAS CONVIDADAS: IVANI MAYER E FERNANDA LOPES FERNANDES

MUSICO ESPECIALMENTE CONVIDADO: ANGELIN LORO

PERCUSÃO: RICARDO ARENHALDT

PRODUÇÃO EXECUTIVA: ANGELA AITA

ASSISTENTE DE PRODUÇÃO: THATIANA MORAES, ALESSANDRA GASPARIN, RAISA ROCHA

UMA PRODUÇÃO: CONFRARIA DOS RITOS



Elenco CONFRARIA



Mariana Brum
Leandro Borges
Matheus Paranhos
Ângela Aita
John Robert
Anderson Cicconne
Gabriela Ramos
Cristiano Bion Loro
Thatiana Morais
Patricia Martins
Raisa Rocha
Claudia Calixto
Laercio Lacerda
Hélio Fernandes
Gabriela Vieira
Alessandra Gasparin
Mauricio Fulber
João Felipe Borrajo
Lucas Oliveira
Ana Rovati
Lu Antoniuk
Alessandra Mayer
Letícia Baldin
Vitória Neves
Elizabete Finn
E atores do Grupo Alvorada em Cena







Direção Geral

Janssen Hugo Lage

(51) 9903.9703 / 8127.2717

Visita do Equador





Parabéns! Você só teve a sua primeira visita de Equador.




Visite Equador na Wikipedia



Modificar a minha alertas

Inter vence o Nautico



08 de outubro de 2009 | N° 16118AlertaVoltar para a edição de hojeÉ O HOMEM
D’Alessandro viveO recomeço do Inter no Brasileirão, agora com Mário Sérgio, tem um nome: D’Alessandro. O argentino foi o destaque do time no sofrido 3 a 1 sobre o Náutico, ontem, no Beira-Rio, que devolveu o clube ao G-4 (ao menos, até o complemento da rodada, hoje).

Com Andrezinho, DAle assumiu o jogo. Levou o time ao ataque, driblou, deu assistências, passes perfeitos, correu o campo todo, sofreu faltas duras sem reclamar, deu carrinho, recebeu cartão amarelo e fez um belo gol de falta o do desafogo, aos 46 do primeiro tempo. Uma grande atuação.

Um desempenho pessoal tão bom que faz um questionamento se impor: por que D’Alessandro não vinha sendo D’Alessandro? Ontem, aquele jogador desinteressado, indolente e omisso das últimas rodadas deu lugar a um líder, a um verdadeiro camisa 10. Se não fosse a birra do jogador com o ex-técnico Tite, com quem tinha problemas de relacionamento por não admitir ser substituído (mesmo jogando mal), o Inter estaria lutando para voltar ao G-4 ou estaria brigando com o Palmeiras pelo título?

Assim que o ônibus do Inter desembarcou a delegação no Beira-Rio, 80 minutos antes da partida, o meia argentino desceu feliz com os aplausos recebidos da torcida e, ao passar pelos repórteres, comentou:

– Vida nova, vida nova.

Logo em seu primeiro dia de Inter, Mário Sérgio avisou que D’Alessandro não teria atenção especial, que não agiria com “paternalismo” e, sim, trataria o jogador como “homem”.

O recado do novo treinador estava dado: ou D’Alessandro voltaria a se interessar pelo time, ou estaria fora do grupo. Mário Sérgio lembrou que, quando jogador, tinha personalidade forte como D’Alessandro. Houve conexão entre os dois. E D’Alessandro resolveu jogar. Ainda sob a gestão de Tite, o meia e seus representantes chegaram a contatar com os xeques dos Emirados Árabes, a fim de colocá-lo no futebol dos petrodólares. A negociação poderá evoluir ou não dependendo do interesse de D’Alessandro no Inter.

– Precisávamos ganhar de qualquer jeito, a qualquer preço, mesmo jogando mal – disse o argentino, ao final da partida. – Tínhamos uma dívida com o próprio grupo dentro do vestiário. Hoje (ontem), começamos a reverter a situação.

A torcida agradece. Ontem, D’Alessandro foi o meia dos sonhos dos colorados.

leandro.behs@zerohora.com.br

LEANDRO BEHS

Efetivo da Brigada

Governo do Estado incorpora maior efetivo da Brigada Militar nos últimos dez anos
08/10/2009 08:23


A governadora Yeda Crusius conduz, nesta quinta-feira (8), a solenidade de inclusão de mais de 3.800 novos soldados à Brigada Militar, ação integrada ao Programa Estruturante Cidadão Seguro. É o maior efetivo incorporado nos últimos dez anos, demonstrando o comprometimento do governo do Estado com a qualificação da segurança pública. Oriundo de concurso público realizado no início deste ano, que teve um total 21.178 inscritos, o contingente - 89% do sexo masculino e 14% do sexo feminino - iniciará agora o Curso Básico de Formação Policial Militar.

Realizado nos diferentes Comandos Regionais de Policiamento Ostensivo do Rio Grande do Sul, o curso tem 1.200 horas/aula, correspondendo a seis meses de instrução. De forma gradativa, os PMs começarão a ser inseridos no policiamento ostensivo. A capacitação abrange matérias curriculares como Sociologia, Antropologia, Psicologia e Vitimologia, bem como conteúdos teóricos e prático, com foco na técnica policial militar e na legislação aplicada à função.

Conforme destaca a governadora Yeda Crusius, a contratação está sendo feita com base em um orçamento realista e na retomada da capacidade de pagamento do Estado, que realizou o ajuste fiscal, possibilitando investimentos em todos os setores. "Isso é buscar resolver um dos problemas da segurança pública, aquele que mais toca à cidadania, que é ter agentes da BM à disposição", afirma, assinalando que o aumento do efetivo vem acompanhado de medidas que vão desde o treinamento dos policiais até a aquisição de equipamentos como viaturas e coletes à prova de bala.

Cidadão Seguro
Em paralelo à incorporação dos mais de 3.800 novos policiais militares, a governadora Yeda Crusius já autorizou a contratação, para este ano, de 300 novos policiais militares temporários e de 600 novos salva-vidas civis temporários, como forma de qualificar a segurança pública.

Na Polícia Civil, estão em andamento os cursos de formação de 157 novos delegados de Polícia, 250 escrivães e 250 inspetores, que estarão à disposição do Estado ainda no primeiro trimestre de 2010. Na Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe), outros 400 servidores realizam curso de formação. Também 133 peritos foram nomeados, após concurso, para o Instituto-Geral de Perícias (IGP).

O reforço de agentes faz parte do projeto de Recuperação dos Efetivos, do Programa Estruturante Cidadão Seguro ( www.estruturantes.rs.gov.br ), que, até 2010, somará investimentos de R$ 462 milhões através de seis projetos. Entre eles, o de Renovação da Frota de Veículos, que prevê, até o final do próximo ano, a compra de 2 mil veículos zero quilômetro aos órgãos de segurança. Até o momento, o governo do Estado já adquiriu mais de 1,6 mil novas viaturas.

Fonte: Site do Estado

Fenachamp

A volta do Clone


O Remake Latino de O Clone
Em 8 de outubro de 2009 por Leandro Faria




Acho que todo mundo se lembra da novela O Clone, de Glória Peres. Exibida entre 2001 e 2002, a trama acompanhava a história de amor entre Jade e Lucas, numa mistura de culturas e de países, sendo ambientada no Brasil e no Marrocos.

Sucesso absoluto de audiência, a novela foi vendida para o mundo todo e também obteve muito sucesso nos mais de 90 países em que foi exibida. Por isso, não é de se estranhar que El Clon, uma versão dessa história, esteja sendo preparada para exibição no mercado latino numa parceria entre a Globo e a Telemundo, emissora latino-americana.

A nova versão da novela teve seu lançamento no último dia 06/10, durante a MIPCOM, principal feira especializada em programação de TV, que acontece em Cannes, na França. O lançamento contou com a presença de diretores da Globo e da Telemundo, além da própria Gloria Peres, autora da versão original da novela.

Você ficou curioso para ver como poderá ficar essa versão? Pois veja o primeiro vídeo de divulgação de El Clon e depois diga pra gente: será que essa versão terá tanto sucesso quanto a original?