Rádio WNews

terça-feira, 1 de junho de 2010

Copa de 1974 Carrocel Holandês


Copa de 1974, Alemanha (13 de junho a 7 de julho)
Redação Yahoo! Brasil - seg mai 31, 2010 5:40 PM BRT
Recomendar! 0 Enviar
Compartilhar
ImprimirCompartilhar esta páginaTwitterFacebookDeliciousDiggOrkut
.Por AFP



A Fifa, que contava com um novo presidente, o brasileiro João Havelange, decidiu aproveitar a infraestrutura dos Jogos Olímpicos de Munique, de 1972, e escolheu para a sede da Copa de 1974 a República Federal da Alemanha. Pela primeira vez, a televisão mostrou ao vivo todas as partidas, o que representou um imediato êxito comercial, uma característica que não mais abandonaria a competição, apesar de muitos criticarem o crescente caráter mercantilista em detrimento do esporte.

Dos 16 países que participaram da Copa, o Zaire foi o primeiro a representar a África negra, a Austrália estreou pela Ásia-Oceania e o Haiti substituiu o México pelas Américas do Norte e Central.

A Holanda foi a grande revelação. Assombrou a todos com seu "futebol total", que ficou mais conhecido como o "Carrossel Holandês", uma revolução que consistia em que todos os jogadores atacassem e defendessem, à imagem e semelhança do Ajax de Amsterdã, equipe que foi tricampeã europeia nos anos de 1971, 72 e 73. Liderando esta seleção arrasadora, estava Johan Cruyff, que todos esperavam ver em ação contra o "kaiser" Frank Beckenbauer.




A primeira fase teve uma partida considerada de alto risco, disputada pelas duas Alemanhas, em que a Oriental venceu por 1 a 0 com jogadas primárias, mas corajosas. Outra grande surpresa foi a eliminação da Itália, que havia chegado invicta ao Mundial e que teve de voltar para casa na primeira fase, depois de perder por 2 a 1 para a Polônia.

Crises de nervos

A Polônia, conduzida por jogadores que não paravam de se movimentar em campo, como Grzegorz Lato - o artilheiro do Mundial, com sete gols -, Robert Gadocha, seu companheiro na lateral esquerda, ou o meio-campista Kazimierz Deyna, conseguiu chegar ao terceiro lugar às custas de um Brasil sem Pelé e que não mostrou sequer a sombra da seleção da Copa de 70.

Os conjuntos sul-americanos, que contavam com bons jogadores, mas careciam de poder de penetração, passaram maus momentos neste Mundial: o Uruguai e o Chile foram eliminados na primeira fase. Já a Argentina, apesar de passar para a segunda fase, acabou obtendo resultados medíocres.

Na final, enfrentaram-se, como previsto, as duas favoritas, Holanda e Alemanha Ocidental. A partida, disputada em Munique, começou com Cruyff derrubado na grande área pelo alemão Berti Vogts, cuja missão era ser a sombra do astro holandês. Neeskens converteu o pênalti e tudo parecia correr bem para a "Laranja Mecânica".

Mas os alemães contavam com armas infalíveis e muita coragem. Breitner empatou de pênalti e Gerd Muller marcou no minuto 43 do primeiro tempo, o segundo gol, uma vantagem que a Alemanha soube conservar para inscrever seu nome pela segunda vez na história do Mundial. Cruyff acabou jogando mal, ao contrário de Beckenbauer, que conduziu com firmeza sua seleção até o alto do pódio.

VOCÊ SABIA?

Federação: Fundadas novas federações - Guiné-Bissau e Ilhas Virgens Britânicas.

Novo troféu: Os 16 finalistas competiam pelo novo troféu "Fifa Copa do Mundo", depois que, no México, o Brasil se tornou dono permanente da Taça Jules Rimet. A nova taça, do escultor italiano Silvio Gazzaniga, é de ouro maciço de 18 quilates, com 36cm de altura e 5kg de peso.

Azar: Noventa países participaram da fase de classificação para 14 vagas. A Bélgica não perdeu nenhuma partida, nem sofreu nenhum gol, mas ficou fora, superada pela Holanda no saldo de gols.

Nova fórmula: O comitê organizador desenhou também um novo formato para a Copa do Mundo. Depois da primeira rodada, em quatro grupos, os dois primeiros de cada um passariam a formar dois novos grupos de quatro. Os ganhadores disputariam a final.

Novo chefe: A Fifa havia eleito também um novo presidente, o brasileiro João Havelange, primeiro sul-americano nesse cargo, em sucessão ao britânico Stanley Rous.

Solitária: A Escócia foi a única nação britânica a se classificar para a Copa do Mundo, mas foi eliminada na primeira fase, pelo critério de saldo de gols.

Estreias: Quatro países participaram pela primeira vez de uma Copa: Haiti, Zaire, Alemanha Oriental e o primeiro representante da Oceania, a Austrália.

Alemanha não jogou: Também pela primeira vez, o país anfitrião não jogou na abertura da Copa. O então campeão, o Brasil, fez as honras, numa partida violenta contra a Iugoslávia, em que o árbitro marcou 46 faltas, e que terminou em 0 a 0.

Goleiros: A Iugoslávia triturou o Zaire por 9 a 0. A equipe africana foi a primeira a substituir seu goleiro em uma Copa, trocando Muamba Kazadi (que já estava cansadíssimo de tanto apanhar a bola no fundo das redes) por Dimbi Tubilandu.

Recorde: O goleiro italiano Dino Zoff estendeu a 1.143 minutos seu recorde sem sofrer gols em jogos oficiais, até que foi superado pelo atacante haitiano Sanon. A Itália ganhou por 3 a 1.

Expectativa máxima: A primeira partida histórica entre as Alemanhas Ocidental e Oriental foi disputada em Hamburgo, diante de 58.900 espectadores. Os orientais ganharam por 1 a 0, gol de Jurgen Sparwasser, aos 77 minutos de jogo.

Primeira defesa: A Polônia perdeu a chance de ir à final ao ser derrotada pela Alemanha Ocidental por 1 a 0. O goleiro polonês Jan Tomaszewski foi o primeiro a defender um pênalti numa Copa do Mundo.

Críticas: Os jogadores brasileiros foram criticados pela imprensa de seu país, ao perderem o terceiro lugar para a Polônia (1 a 0).

Torpedeiro: Gerd Muller marcou quatro gols, elevando a 14 sua conta pessoal em Copas do Mundo e se tornando o maior goleador das Copas até 2006, quando foi superado pelo brasileiro Ronaldo.

Leia também:

Copa de 1970

Copa de 1966

Copa de 1962

Copa de 1958

Copa de 1954

Copa de 1950

Copa de 1938

Copa de 1934

Copa de 1930
Fonte: Yahoo

Copa da Argentina de 1978



Copa de 1978, Argentina (1 a 25 de junho)
Redação Yahoo! Brasil - 32 minutos atrás
Recomendar! 0 Enviar
Compartilhar
ImprimirCompartilhar esta páginaTwitterFacebookDeliciousDiggOrkut
.Por AFP



Política e futebol voltaram a dar as mãos no Mundial de 1978. A Argentina vivia em plena ditadura militar e muitos países ameaçaram boicotar o torneio, o que no fim das contas acabou não acontecendo, ainda que alguns jogadores, entre eles o astro holandês Johan Cruyff, tenham se recusado a participar, em protesto contra as violações dos direitos humanos cometidas pela Junta Militar argentina.

Os militares criaram a Entidade Autárquica Mundial 78, orçada em 520 milhões de dólares – quatro vezes mais do que no Mundial da Espanha, em 1982. Construíram três estádios – Mar del Plata, Córdoba e Mendoza – e outros três foram ampliados. Os militares conseguiram inclusive um cessar-fogo com o grupo dos Montoneros (guerrilheiros que lutavam contra o Governo) para assegurar a tranqüilidade dos turistas e jornalistas durante a Copa.

Mesmo cuidado com a equipe nacional. O cargo de treinador ficou para César Luis Menotti, que em quatro anos formou uma seleção ofensiva, digna das melhores tradições do futebol argentino, com craques como o centroavante Mario "Matador" Kempes, o ponta Osvaldo Ardiles e o zagueiro Daniel Passarella, capitão do time. De fato, este foi o trio que brilhou no Mundial.



Holanda volta a perder

Na primeira fase, algumas surpresas, como a Áustria, que chegava a uma fase final depois de 20 anos de ausência, e o Peru, que confiou em jogadores experientes como Teófilo Cubillas e Hugo Sotil, remanescentes do time de 1970. As duas seleções passaram à segunda fase, em que dois grupos de quatro equipes disputavam a classificação para a final. Em contrapartida, Espanha, França e Escócia, que estavam confiantes, voltaram logo para casa.

A Holanda não teve grandes problemas para se desfazer dos rivais e conseguir um lugar na final, enquanto que a Argentina precisava, após vencer a Polônia e empatar com o Brasil, golear o Peru por, pelo menos, 4 a 0. A partida terminou com uma goleada de 6 a 0 para os donos da casa, um resultado que causou polêmica, levantando a suspeita de que os jogadores peruanos teriam facilitado a derrota.

E assim chegou a tão esperada final para os argentinos, que lotaram o Estádio Monumental, em Buenos Aires, para gritar como nunca pela seleção nacional contra os holandeses. Kempes – herói e artilheiro do Mundial, com seis gols –- começou marcando, mas os holandeses empataram a poucos minutos do fim da partida. Já na prorrogação, novamente Kempes e Daniel Bertoni, mais tarde, garantiram a vitória contra a seleção laranja.

O país inteiro festejou. Depois de 48 anos e nove mundiais, a Argentina conseguia uma vitória cujo mérito nem uma série de irregularidades e uma arbitragem muito generosa conseguiram reduzir.

VOCÊ SABIA?

Contratempo: Em plena ditadura militar na Argentina, a organização do Mundial não esteve isenta de contratempos. O primeiro dirigente da Entidade Autárquica Mundial 78 (EAM'78), o general Actis, era partidário da moderação, o que não satisfazia a um dos militares da Junta que comandava o país, o almirante Massera. Actis morreu num atentado e foi substituído por um colaborador de Massera.

Trégua: Massera viajou a Paris em 1977, para se reunir com o líder dos Montoneros (grupo guerrilheiro), Mario Firmenich, e convencê-lo de que era necessária uma trégua durante o Mundial. Nada vazou daquela reunião, mas muitos líderes montoneros morreram depois da entrevista e sua única testemunha, a funcionária da embaixada da Argentina na França Elena Holmberg, foi seqüestrada e assassinada depois do Mundial.

Saia justa: Contam que um jogador holandês perguntou a um jornalista argentino durante uma reportagem "onde estavam os campos de concentração".

Bola: Foi utilizado um novo modelo, "Tango", com desenhos mais dinâmicos.

Ambição: A Escócia tinha feito um giro pela América do Sul com muito sucesso no ano anterior. Segundo o treinador escocês, Ally MacLeod, a equipe era capaz de vencer todos os seus adversários. Outra vez, os escoceses eram os únicos representantes da Grã-Bretanha.

Estréia: Dois países, Irã e Tunísia, fizeram sua estréia numa Copa do Mundo. A Tunísia foi a primeira seleção africana a ganhar uma partida em Copas, ao derrotar o México por 3 a 1, de virada.

Rapidez: Bernard Lacombe, da França, conseguiu o segundo gol mais rápido em Copas do Mundo, aos 36 segundos, contra a Itália, em outra partida do Grupo 1. Mas a Itália se recuperou e terminou ganhando por 2 a 1.

Esquecimento: Os franceses venceram posteriormente a Hungria, após serem ameaçados pelo árbitro de expulsão coletiva por terem esquecido suas camisas. A polícia argentina encontrou no estádio as camisas de uma equipe local de segunda divisão e, com elas, a França ganhou por 3 a 1.

Doping: A Escócia perdeu por 3 a 1 para o Peru em seu primeiro jogo. Para piorar, o zagueiro Willie Johnston teve resultado positivo em um exame antidoping e foi enviado de volta para a Escócia.

Volta: Os escoceses se recuperaram com uma surpreendente vitória por 3 a 2 sobre a Holanda, mas terminaram eliminados pelo saldo de gols. Nessa partida, o gol do holandês Resenbrink foi o de número mil marcado em Copas do Mundo.

Lá e cá: Na partida Holanda x Itália, o holandês Erny Brandts se tornou o primeiro jogador a marcar um gol contra e um a favor para uma seleção em um mesmo jogo. A Itália precisava da vitória e o gol contra de Brandts, aos 18 minutos do primeiro tempo, abriu suas esperanças. Mas o próprio Brandts empatou no segundo tempo e Hann fez o da vitória holandesa pouco depois.

Polêmico: O árbitro galês Clive Thomas ganhou notoriedade ao apitar o final da partida no mesmo instante em que o brasileiro Zico marcava de cabeça o que seria o gol da vitória do Brasil contra a Suécia. Thomas, que apitou o fim do jogo com a bola no ar, na cobrança de um escanteio, anulou o gol e o jogo terminou 1 a 1.

Estrangeiro: Mario Kempes, do Valencia, da Espanha, era o único jogador da seleção argentina que atuava em um clube estrangeiro.

Vantagem estranha: A Argentina iniciou sua última partida da segunda fase, sabendo – porque atrasaram o começo do jogo – que precisava derrotar o Peru por três gols para empatar com o Brasil e por quatro para passar às finais. O Peru pareceu "morto de véspera" e a Argentina terminou goleando por 6 a 0.

Onipresentes: O Brasil – que havia empatado em 0-0 com a Argentina – foi o primeiro país a lutar pelo terceiro lugar em duas Copas consecutivas e derrotou a Itália por 2 a 1, terminando como a única seleção invicta no Mundial-78, com a Argentina sendo campeã.

Campeã: A Argentina se tornou a terceira nação sede dos últimos quatro Mundiais a ganhar a Copa do Mundo.

Fundadas as federações de: Ilhas Salomão, Moçambique e Omã.

Leia também:

Copa de 1974

Copa de 1970

Copa de 1966

Copa de 1962

Copa de 1958

Copa de 1954

Copa de 1950

Copa de 1938

Copa de 1934

Copa de 1930
Fonte: Yahoo

Fotos Bagun S.A Circo Fiesta em Vacaria RS











Fotos Bagu S.A no Circo Fiesta em Vacaria RS







Plantas Medicinais

Sossella defende produção de plantas medicinais e pesquisa sobre fitoterápicos





O presidente da Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa, deputado Gilmar Sossella , defende investimentos do Estado para a pesquisa e a produção de medicamentos fitoterápicos. Conforme o parlamentar do PDT é preciso fazer valer a legislação atual e consolidar uma política pública de Estado que inclua os fitoterápicos na lista de medicamentos do Sistema Único de Saúde.



A manifestação do deputado Sossella em defesa dos fitoterápicos ocorreu nesta segunda-feira (31) em Porto Alegre, durante a realização do Seminário Estadual Da Planta ao Fitoterápico.Sossella preside o evento promovido pela Comissão de Saúde e Meio Ambiente com apoio da prefeitura municipal de Panambi. Representes do Ministério da Saúde, Secretaria Estadual de Saúde, Assedisa, Emater, Conselho Estadual de Saúde, e agentes comunitários de saúde, discutem a continuidade e os desafios da política intersetorial para plantas medicinais e fitoterápicos no Rio Grande do Sul.



Sossella afirma que 80% da população mundial utiliza práticas tradicionais de plantas medicinais e medicamentos fitoterápicos. Durante o pronunciamento na abertura do seminário, Sossella lembrou do tradicional “chá da vovó” e destacou um pensamento do filósofo Sócrates: “Que teu alimento seja o remédio e teu remédio seja teu alimento”. Conforme Sossella, a era da industrialização não conseguiu sufocar o saber daqueles que ousaram quebrar paradigmas e permanecem dispostos a assumir desafios em defesa da vida.



“Temos que avançar e construir uma rede de apoio aos fitoterápicos. Além de proteger a vida , as plantas medicinais e os medicamentos fitoterápicos são alternativa de emprego e renda. Precisamos que as pesquisas e os conhecimentos do setor sejam compartilhados com a sociedade e não vendidos para um mercado que movimenta cifras exorbitantes. O Poder Público, os legisladores e os profissionais têm a co-responsabilidade de tornar a política de plantas medicinais e fitoterápicos uma realidade”, destaca o deputado Gilmar Sossella .



Ouça o pronunciamento na íntegra no site: www.gilmarsossella.com.br

Apreensão de Drogas

Polícia Civil apreende mais de 100 quilos de maconha oriundos do Paraguai
31/05/2010 14:59

Agentes da 4ª Delegacia de Investigações do Narcotráfico (4ª DIN), do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc), prenderam em flagrante, nesse domingo (30), por volta das 16 horas, três homens, em dois veículos, transportando 107,5 kg de maconha, em 187 tijolos, vinda do Paraguai.

A droga foi apreendida em um veículo Mercedes-Benz Classe A, que desde a última sexta-feira (28), vinha sendo monitorado e foi abordado próximo ao Posto Rodoviário Federal de Montenegro. Na ocasião, também foi apreendido um automóvel Celta com dois indivíduos que serviam de batedores.

Segundo o diretor do Denarc, delegado João Bancolini, o Celta (que fazia a segurança do veículo Classe A) foi 116 vezes ao Paraguai, num período de um ano e meio.

De acordo com diretor da Divisão de Investigações do Narcotráfico (Dinarc), delegado Luís Fernando Martins Oliveira, parte da droga estava escondida no console do veículo Classe A. O restante (90 kg) da maconha apreendida estava na parte que fica embaixo do carro, adaptado como uma caixa soldada.

De acordo com o delegado Daniel Ordahi, da 4ª Din, os veículos estão sem registro de roubo ou furto. Durante as investigações os proprietários serão intimados para esclarecerem o fato.

Os três presos tem antecedentes por roubo, inclusive já foram presos juntos. Eles foram autuados por tráfico de drogas e associação ao tráfico e encaminhados à Penitenciária Estadual do Jacuí (PEJ).
Participaram da ação dois delegados, 10 agentes e cinco viaturas. As investigações sobre o caso iniciaram há cerca de um mês.

O Denarc recebe denúncias através do número 0800 518 518.

Fonte: Ascom PC

Destaque Vermelho



DESTAQUES DA EDIÇÃO DE
HOJE DO PORTAL VERMELHO

TV Vermelho

ANPG: congresso de massa elege 1ª presidente negra da entidade

PHA explica que tipo de golpe direita arma contra Dilma


Ataque de Israel foi um ataque terrorista destaca Ricardo Abreu


Ativistas denunciam israelenses como
assassinos
Massacre no mar
Israel ataca civis em missão humanitária

Forças Armadas israelenses atacaram nesta segunda a "Frota da Liberdade", integrada por 750 pessoas em seis embarcações, que se dirigia a Gaza para prestar solidariedade à população palestina. No mínimo 19 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas no ataque.



Eleições
Colômbia terá segundo turno entre Juan Santos e Antanas Mockus
Resposta à crise
Portugal: 300 mil saem às ruas contra políticas antitrabalhistas
O império e as drogas
Artigo de Fidel ajuda a desmascarar Serra
Mensalão do DEM
Rodrigo Maia se cala sobre denúncia


José Serra, que não pode bater em outros, bate em Evo Morales


Claudio Gonzalez
Mais do mesmo no McEstados Unidos

Mazé Leite
Por falar em Grécia...

Marco Albertim
A moça e o fotógrafo

Eduardo Bomfim
Crise de identidade e ligações perigosas

Ronaldo Carmona
Estados Unidos buscam sabotar Acordo de Teerã

Venicio A. de Lima
CONFECOM: O que foi feito de suas propostas?



Esta é uma mensagem automática, favor não responder

Destaques do Vermelho é um serviço diário gratuito do www.vermelho.org.br

Para cancelar


Alterar seus dados


Encaminhar a um amigo

Limpeza Urbana

Lá no Bairro onde moro Jardim América os vizinhos não respeitam o espaço do outro, um senhor que reciclcla lixo deixou entulhos na costa do terreno da minha casa. Infelizmente não consegui bater uma foto do local e publicar neste blog. Mas é absurdo como moro com a minha mãe que a dona da casa não pude agir no método mais radical que era de chamar as autoridades. Uma vergonha, gostam de se atritar com os vizinhos de graça. É Vacaria dos Pinhais

TVE Repórter

nstituto-Geral de Perícias é tema do TVE Repórter
31/05/2010 17:34

O programa TVE Repórter desta terça feira (01/06), às 21h30min, na TVE (canal 7), abordará a Perícia Criminal Gaúcha, enfocando o trabalho do Instituto-Geral de Perícias (IGP) e seus Departamentos: Criminalística, Identificação, Médico-Legal, Laboratório de Perícias/Laboratório de Genética Forense.

O Instituto-Geral de Perícias é o órgão da Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul responsável pelas perícias criminais. O programa terá reprises na sexta-feira (04/06), às 12 horas, e, no domingo (6/06), às 20 horas.

Fonte: Ascom IGP

BR 470

O deputado Francisco Appio percorreu a BR470, região Nordeste do Estado, no último final de semana e fiscalizou as obras de asfaltamento. No lote da Ergo (Pontão/Barracão) foram asfaltados 16 km e mais 6,5 britados. De acordo com o parlamentar, a Festa do Pinhão no último domingo (29/05) mostrou o entusiasmo do povo de Barracão.

De Pontão a Clemente Argolo, há 10 km britados e pelo menos um com asfalto (camada inicial). “Na Estância reina entusiasmo com a chegada do asfalto, o que garante mais público para a Festa religiosa deste domingo (6 de junho)”, garante Appio.



As últimas notícias/opiniões no www.twitter.com/franciscoappio



TRE - Desembargador Difini - deu recado aos deputados que mantinham albergues. Em ano de eleições as pousadas estão proibidas. Injustiça.

SAMUEL PINTO - caminhoneiro de Vacaria - acidentado na terça 25 ainda não foi operado. Está em Vila Velha -ES. Falta cirurgião especializado.

BRASIL tem 40 mil amputações/mês, a maioria por acidentes e diabetes. Veja a Coluna do Paulo Santana na ZH de hoje (31). É o caos na saúde.

TRE diz aos radiodifusores gaúchos, como será a campanha eleitoral deste ano. Reunião iniciará em 35 minutos.





Deputado Estadual Francisco Appio - www.appio.com.br

Prefeitura de Porto Alegre


Notícias

A MANCHETE
Porto Alegre vista com bons olhos pelo mundo

DESTAQUES
Smam investe R$ 3 milhões em áreas verdes na Zona Norte

Comitiva visita cidade-irmã de Suzhou

Governança qualifica processos participativos

EVENTOS
Inscrições ao Açorianos de Literatura abrem amanhã

Rock internacional no Teatro Renascença

Semana do Meio Ambiente começa sábado

MAIS SERVIÇOS
Pneumocócica é incluída no calendário de vacinação

Parceria combate ocupações irregulares

EPTC instala mais de 1,5 mil gradis em 2010

PREVISÃO DO TEMPO
Conheça a previsão para os próximos dias

TEMPO HOJE
Veja imagem de satélite



Notícias da prefeitura na imprensa

Clique nos links abaixo para ter acesso a todas as notícias sobre a prefeitura veiculadas em jornal, TV, rádio e Internet:

Notícias em Jornal Notícias em TV Notícias em Rádio Notícias na Internet


Todas as Notícias
A MANCHETE
Porto Alegre vista com bons olhos pelo mundo

O reconhecimento de Porto Alegre como referência em políticas sociais e de participação popular foi o primeiro ponto destacado pelo prefeito José Fortunati, que lidera a comitiva a Xangai, como benefício da presença da Capital na Expo 2010. “Nossa cidade está entre as 55 selecionadas para o evento, sendo que só 36 conseguiram se instalar e apenas sete, entre elas Porto Alegre, receberam o prêmio de 300 mil dólares como contribuição para que aqui estivéssemos”, disse o prefeito. Ao assistir ao grande número de chineses participando animadamente do game interativo instalado no estande, Fortunati destacou outro benefício da Expo. “Estamos iniciando aqui uma nova frente, novos caminhos, não apenas com a China, mas também estabelecendo uma ponte para a Ásia.” Leia mais...
DESTAQUES
Comitiva visita cidade-irmã de Suzhou

A programação da comitiva de Porto Alegre na China na quarta-feira, 2 de junho, é uma visita a Suzhou, distante 120 quilômetros de Xangai. Suzhou é cidade-irmã de Porto Alegre desde 2004. Dentre as mais de 50 cidades-irmãs de Suzhou espalhadas pelo mundo, a capital gaúcha é a única no Brasil com este reconhecimento. As duas cidades mantêm intercâmbio esporádico, que o prefeito José Fortunati pretende incrementar. “Suzhou pode vir a ser mais uma importante porta de entrada para esse mundo novo e em expansão que é a China”, disse. Leia mais...
Smam investe R$ 3 milhões em áreas verdes na Zona Norte

Serão recuperadas e urbanizadas 25 praças na Vila Farrapos. O Parque Marechal Mascarenhas de Moraes, no bairro Humaitá, também receberá melhorias, como quadras esportivas, churrasqueiras e playgrounds. "As obras beneficiarão uma população superior a 32 mil pessoas, segundo Censo do IBGE de 2000", destaca o titular da Smam, Professor Garcia. A medida faz parte do Programa Integrado Entrada da Cidade (Piec). Confira as praças a serem revitalizadas Leia mais...
Governança qualifica processos participativos

A prefeitura toma uma série de medidas para qualificar as práticas democráticas participativas de Porto Alegre. A proposta é territorializar a cidade, integrar o Orçamento Participativo e o Programa de Governança Solidária Local e fortalecer os Centros Administrativos Regionais, órgãos de descentralização político-administrativa localizados nas 17 regiões do OP. Para otimizar o trabalho, a administração municipal formou conselhos e comitês com competências específicas nas respectivas áreas. Leia mais...
EVENTOS
Inscrições ao Açorianos de Literatura abrem amanhã

Os concorrentes podem se inscrever gratuitamente até 30 de junho no Centro Municipal de Cultura. Tradicional em Porto Alegre, a Noite do Livro ocorre em dezembro, quando serão entregues aos vencedores troféus criados pelo artista plástico Xico Stockinger. Entre os ganhadores será escolhido o Livro do Ano, que receberá prêmio de R$ 10 mil. Podem concorrer obras publicadas, em 1ª edição, de janeiro de 2009 até o encerramento das inscrições. Leia mais...
Rock internacional no Teatro Renascença

O guitarrista norte-americano Vinnie Moore estará em Porto Alegre amanhã, a partir das 19h30, para ministrar um workshop de guitarra no Teatro Renascença. O ingresso é dois quilos de alimento não-perecível. Moore já percorreu o mundo mostrando suas habilidades e agora chegou a vez de o público brasileiro ter a chance de ver em ação um dos guitarristas mais influentes da história da guitarra mundial. No Brasil, ele vai passar por quatro estados: Rio Grande do Sul, São Paulo, Santa Catarina e Distrito Federal. Leia mais...
Semana do Meio Ambiente começa sábado

A programação terá início com o lançamento do projeto Juntos pelo Verde, sábado, 5 de junho, a partir das 9h30, na Redenção. Neste ano, a proposta da Semana é mostrar a Smam para a cidade. A secretaria promoverá, de 7 a 9 de junho, debates técnicos abertos ao público sobre quatro temas: licenciamento, fiscalização, áreas verdes e unidades de conservação. Conheça a programação Leia mais...
MAIS SERVIÇOS
Pneumocócica é incluída no calendário de vacinação

A partir de amanhã, a vacina Pneumocócica (conjugada) entrará no calendário básico e será disponibilizada gratuitamente para crianças menores de dois anos. A medicação substituirá a vacina Pneumo 7 valente, que até então era liberada apenas por pedido especial. Leia mais...
EPTC instala mais de 1,5 mil gradis em 2010

Além das sinaleiras e faixas de segurança, os pedestres contam com um outro tipo proteção nas ruas: os gradis, ou seja, grades de proteção. Desde o início do ano, a EPTC instalou 1.522 gradis em locais de intenso fluxo de veículos e pedestres. Vias como Princesa Isabel, Azenha, Nonoai, Independência e proximidades do HPS receberam os equipamentos. Leia mais...
Parceria combate ocupações irregulares

A prefeitura e o Ministério Público do Estado assinaram hoje termo de cooperação para regularizar loteamentos clandestinos e frear ocupações no município, tutelando o direito à moradia e impedindo o crescimento desordenado. A primeira tarefa será fazer o levantamento das áreas irregulares e cadastrar os ocupantes para futuras ações regularizatórias. A assinatura ocorreu no Palácio do Ministério Público, com a presença do prefeito em exercício, João Batista Linck Figueira. Leia mais...
PREVISÃO DO TEMPO
Conheça a previsão para os próximos dias

Clique aqui
TEMPO HOJE
Veja imagem de satélite

Clique aqui


Editado pela Supervisão de Comunicação Social
E-mail - Telefones (51)3289.3900 / (51)3289.3932 / (51)3289.3926

Newsletter desenvolvida pela PROCEMPA.

Faixa de Gaza

Entenda como funciona o bloqueio à Faixa de Gaza

Entenda como funciona o bloqueio à Faixa de Gaza

""

A Faixa de Gaza vive sob bloqueio imposto por Israel desde que o grupo extremista islâmico Hamas assumiu o controle da região, em junho de 2007.

Israel quer enfraquecer o Hamas, pôr fim a seus ataques com foguetes contra cidades israelenses e resgatar o soldado Gilad Shalit. Mas muitas agências de ajuda humanitária dizem que a política serve apenas para punir civis.

A Anistia Internacional chamou o bloqueio de "punição coletiva" que resulta em uma "crise humanitária"; funcionários da ONU descreveram a situação como "preocupante" e como "sítio medieval", mas Israel diz que não há desabastecimento em Gaza, justificando que permite, sim, a entrada de ajuda no território.

O que entra e sai de Gaza, e que impacto isso tem?

O que entra

Na maior parte dos três anos desde que o Hamas assumiu o controle de Gaza, os 1,5 milhão de pessoas da região contam com menos de um quarto do volume de importações que recebiam em dezembro de 2005. Em algumas semanas, muito menos do que isso chega à região, apesar de as importações em 2010 terem atingido entre 40% e 45% dos níveis pré-bloqueio.

Na esteira da chegada do Hamas ao poder, Israel afirmou que permitiria apenas a entrada de suprimentos humanitários na Faixa de Gaza. O país tem uma lista de itens que poderiam ser usados para fabricar armas, como canos de metal e fertilizantes.

Esses itens não podem entrar, à exceção de em "casos especiais humanitários". Não foi publicada, entretanto, qualquer lista do que pode ou não pode entrar em Gaza, e os itens variam de tempos em tempos.

A lista da agência da ONU de ajuda aos refugiados palestinos, a UNRWA, tem itens de uso doméstico que tiveram entrada proibida várias vezes, como lâmpadas, velas, fósforos, livros, instrumentos musicais, giz de cera, roupas, sapatos, colchões, lençóis, cobertores, massa para cozinhar, chá, café, chocolate, nozes, xampu e condicionador.

Muitos outros artigos - que vão de carros e frigideiras a computadores - quase sempre têm entrada recusada.

Materiais de construção como cimento, concreto e madeira tiveram entrada quase sempre proibida até o começo de 2010, quando uma pequena quantidade de vidro, madeira e alumínio foi autorizada.

Durante os seis meses de trégua entre Israel e Hamas que começaram em junho de 2008, e no começo de 2010, o volume e a gama de bens que entram em Gaza aumentou um pouco, com a chegada de caminhões de sapatos e roupas.

Israel diz que o Hamas desviou ajuda no passado, e que poderia se apropriar de materiais de construção para seu próprio uso. Agências de ajuda respondem afirmando que têm sistemas de monitoramento rígidos em vigor.

Alimentos

AP

"AP"

Agências de ajuda humanitária que operam em Gaza dizem que conseguem, em grande parte, transportar suprimentos básicos como farinha e óleo de cozinha para o território.

Mas a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO, na sigla em inglês), diz que 61% dos moradores de Gaza vivem em uma situação de "insegurança alimentar".

Metade dos 1,5 milhão de moradores de Gaza depende da UNRWA e de seus suprimentos de comida.

A distribuição de comida pela UNRWA foi suspensa várias vezes desde junho de 2007, como resultado do fechamento das fronteiras ou de racionamento de comida.

Israel costuma dizer que as fronteiras são fechadas por motivo de segurança, usando como exemplo ocasiões em que palestinos atacaram os postos fronteiriços ou lançaram foguetes contra Israel.

Os pacotes de ajuda da UNRWA respondem por cerca de dois terços das necessidades alimentares dos palestinos em Gaza, e precisam ser complementadas por laticínios, carne, peixe, frutas frescas e legumes.

Alguns desses itens são cultivados localmente, outros têm entrada permitida, vindos de Israel, e outros são contrabandeados por túneis na fronteira de Gaza com o Egito.

Mas com o desemprego em 40%, segundo estima a ONU, alguns moradores de Gaza não podem comprar o básico, mesmo se eles estiverem disponíveis.

A UNRWA afirma que o número de moradores de Gaza incapazes de comprar itens como sabão e água potável triplicou desde 2007.

Uma pesquisa realizada pela ONU em 2008 revelou que mais da metade dos domicílios de Gaza vendeu o que tinha e depende de crédito para comprar comida.

Três quartos dos habitantes da região compram menos comida do que no passado, e quase todos estão comendo menos frutas, legumes e verduras frescos e proteínas, para economizar.

A operação militar de Israel em dezembro e janeiro de 2009 prejudicou significativamente a transferência de alimentos e sua distribuição, além de ter causado prejuízos à agricultura que a FAO estima estar na ordem dos US$ 180 milhões.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), um terço das crianças com menos de 5 anos e de mulheres em idade fértil em Gaza estão anêmicos.

Combustível e energia

""

Em setembro de 2007, o governo de Israel declarou a Faixa de Gaza uma "entidade hostil", em resposta a ataques contínuos com foguetes contra o sul de Israel, e disse que começaria a cortar o nível de combustível importado pela região.

Falta de gasolina e diesel causaram grandes problemas. Carroças puxadas por burros são uma visão comum em Gaza. O combustível para carros entra por túneis, através do Egito.

De acordo com informação compilada pela Ong Oxfan, não entrou qualquer quantidade de gasolina ou diesel para veículos vindo de Israel desde de novembro de 2008 - à exceção de combustível usado por carros da ONU e de outros cinco outros carregamentos por navio, em três anos.

A quantidade de gás de cozinha com entrada autorizada geralmente varia entre um terço e metade da necessidade, segundo a Oxfam.

Eletricidade

O fornecimento de eletricidade a Gaza é composto por 144 Megawatts vindos de Israel, 17 Megawatts do Egito e o restante de uma usina controlada pela União Européia em Gaza, que pode gerar até 80 Megawatts.

O combustível para a usina é geralmente levado através do posto fronteiriço de Nahal Oz. A usina fechou por completo várias vezes por falta de combustível, porque o posto estava fechado. A usina ficou sem energia durante a maior parte da operação de Israel em janeiro de 2009, deixando dois terços dos moradores de Gaza sem energia, no pico da crise.

Desde o começo de 2008, a usina recebeu combustível suficiente para operar com apenas dois terços da sua capacidade - obedecendo a uma determinação da Suprema Corte de Israel, que estabelece a entrada de uma quantidade mínima de combustível em Gaza.

Números monitorados por agências internacionais mostram que a chegada de combustível caiu para seus níveis mínimos várias vezes na primeira metade de 2008.

No fim de 2009, a responsabilidade por custear o combustível foi transferida da União Européia para a Autoridade Nacional Palestina, baseada em Ramallah, na Cisjordânia. Em abril e maio de 2010, o fornecimento de combustível oscilou, e a usina conseguiu operar entre 20% e 50% de sua capacidade.

Os cortes de energia continuam frequentes. Uma pesquisa da Oxfam de abril de 2010 mostrou que havia casas em Gaza sem energia por 35 ou 60 horas por semana.

Esgoto e água

""

O bloqueio teve um enorme impacto na rede de esgoto e de abastecimento de água. A falta de componentes torna difícil a reforma da rede. O fornecimento de energia intermitente fez com que bombas elétricas precisassem de geradores, que, por sua vez, não tinham peças reserva.

A OMS diz que a Operação Chumbo Fundido piorou o que já era uma situação crítica. Antes da operação, segundo a organização, os moradores de Gaza tinham menos de metade da água que necessitam de acordo com padrões internacionais. Além disso, 80% da água que chegava ao território não tinha qualidade compatível com os padrões da OMS.

No auge dos combates em janeiro, metade da população de Gaza não tinha acesso a àgua encanada.

O organismo responsável pelo tratamento de esgoto em Gaza estima que ao menos 50 milhões de litros de esgoto mal ou não tratado seja despejado no mar diariamente.

Parte do esgoto de Gaza é armazenado em lagoas. Uma delas tranbordou em 2007, causando ao menos cinco mortes.

Negócios

De maneira geral, a ONU diz que o bloqueio causou "danos irreparáveis" à economia de Gaza. O desemprego aumentou de 30% em 2007 para 40% em 2008, de acordo com o Banco Mundial. A ONU afirma que se a ajuda fosse descontada, 80% dos moradores de Gaza viveriam na pobreza.

O bloqueio devastou o setor privado. Antes de 2007, cerca de 750 caminhões de móveis, produtos alimentícios, têxteis e agrícolas deixavam Gaza a cada mês, no valor de meio milhão de dólares por dia.

Sob o embargo, as únicas exportações permitidas foram as contidas em poucos camihões de morangos e flores - apesar de a situação ter melhorado levemente no começo de 2010, com a saída de 118 camihões entre dezembro de 2009 e abril de 2010.

Até a produção para necessidades locais foi praticamente paralisada, porque matérias primas raramente conseguem entrar. De acordo com a organização de defesa dos direitos humanos Gisha, pequenos conteineres de margarina têm entrada permitida para consumo doméstico. Baldes de manteiga, entretanto, não podem entrar - esses poderiam ser usados para manufatura industrial de alimentos.

Algumas empresas retomaram suas atividades usando produtos contrabandeados através dos túneis.

Antes do bloqueio, 3.900 empresas operavam, empregando 35 mil pessoas - em junho de 2008, apenas 90 funcionavem, empregando apenas 860, de acordo com o Centro de Comércio Palestino. A situação melhorou ligeiramente durante a trégua.

Os negócios de Gaza sofreram prejuízo estimado em US$ 140 milhões durante as operações militares de dezembro e janeiro, de acordo com o Conselho Coordenador do Setor Privado Palestino.

Agricultura

A agricultura também é um empregador importante, mas com as exportações em praticamente zero, milhares de toneladas de flores, frutas, legumes e verduras foram destruídos ou vendidos com prejuízo em mercados locais.

Outras áreas da indústria alimentícia também foram afetadas - por exemplo, o aumento dos custos de produção para pescadores aumentou o preço das sardinhas, e um avicultor teve que matar 165 mil pintos, porque não tinha combustível para as incubadoras que os manteriam vivos.

A FAO afirma que árvores, campos, gado e estufas - no valor de US$ 180 milhões - foram destruídas na Operação Chumbo Fundido. A Autoridade Nacional Palestina estima que 15% das terras para cultivo na região tenham sido destruídas.

A FAO afirma ainda que as fronteiras fechadas são um enorme obstáculo para a reconstrução, com a falta de fertilizante, gado, sementes e equipamento agrícola.

Israel diz que em 2010 permitiu a entrada em Gaza de sementes de batata, ovos para reprodução, abelhas e fertilizantes que não poderiam ser usados em bombas.

""

Construção

Restrições a material de construção, em particular cimento, e componentes para máquinas, tiveram enorme impacto sobre projetos que vão de tratamento de água à abertura de sepulturas. A reconstrução de prédios e infraestrutura destruida nas operações de Israel de 2009 se tornou praticamente impossível.

A ONU diz que as restrições ao cimento tornaram impossível a reconstrução de 12 mil casas palestinas danificadas ou destruídas durante as operações israelenses.

A organização diz que não pôde construir escolas para abrigar 15 mil novos alunos - necessárias porque a população aumentou desde que o bloqueio começou.

Mesmo antes da operação Chumbo Fundido, todas as fábricas de material de construção tinham fechado (13 que fabricavam azulejos, 30 de concreto, 145 de corte de mármore e 250 de tijolos), e a construção de estradas, de redes de abastecimento de água e saneamento, de instalações médicas e casas foi paralisada.

Durante a trégua, alguns caminhões de cimento começaram a entrar em Gaza, mas o volume estava muito abaixo do necessário - e o fluxo parou, assim que a trégua ruiu.

Em março de 2010, Israel aprovou a entrada de material de construção para alguns projetos da ONU que estavam paralisados, mas o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse que aquela era "uma gota em um balde" em comparação às necessidades.

Saúde

A OMS diz que o bloqueio levou a uma "piora das condições de saúde da população" e "à degeneração acelerada" do sistema de saúde.

Israel geralmente permite a entrada de remédios em Gaza. A OMS afirma que a falta de remédios é um problema, com 15% ou 30% dos medicamentos essenciais em falta ao longo de 2009.

O sistema de saúde também luta para obter componentes para suas máquinas e também com a falta de combustível para geradores.

Antes da operação Chumbo Derretido, Gaza tinha apenas 133 leitos hospitalares por 100 mil pessoas, comparados com 583 em Israel, e perdeu parte de sua capacidade durante os combates.

Seis hospitais sofreram danos, incluindo um prédio novo que foi totalmente destruído, e outro que perdeu dois andares inteiros. Gaza simplesmente não está equipada para tratar casos graves de saúde.

De acordo com dados israelenses, 10.554 pacientes e seus acompanhantes deixaram Gaza para obter tratamento médico em Israel desde 2009.

Mas a OMS afirma que em dezembro de 2009, foi negada ou atrasada permissão para entrada de 21% dos pacientes, e 27 morreram durante o ano, à espera de autorizações de Israel.

A fronteira de Rafah com o Egito está fechada desde junho de 2007, apesar de alguns casos médicos considerados especiais poderem cruzar o local.

Israel diz que é necessário uma inspeção cuidadosa, alegando que três pessoas com autorização médica para deixar o território planejavam, na verdade, atacar o país.

O governo israelense diz ainda que se ofereceu para facilitar a passagem de Israel para a Jordânia para palestinos que tiveram sua autorização recusada por motivos de segurança.

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.



-----Anexo incorporado-----

_______________________________________________
Cartaoberro mailing list
Cartaoberro@serverlinux.revistaoberro.com.br
http://serverlinux.revistaoberro.com.br/mailman/listinfo/cartaoberro

Pedágios

A maçã gaúcha embarcada pelo Porto de Rio Grande, paga 19 pedágios, onerando os produtores e embarcadores. Com a produção concluída, a comercialização registra uma das mais baixas cotações da história da fruticultura, abarrotando as câmaras frias de Vacaria e da região. Para estudar a compensação (isenção do pedágio, será possível nos contratos futuros), produtores pedem ao Governo Yeda que adote alternativas. Modelos em vigor na Espanha e Argentina estão sendo pesquisados. Para o deputado Francisco Appio que apresentou esta proposta ao Governo, através do Secretário Bercílio Silva (CASA CIVIL) o melhor será compensar no IPVA. Além de atrair o emplacamento no Rio Grande do Sul (a maioria da frota é emplacada em S.Paulo e Curitiba) reduzirá os custos dos embarcadores e ajudará os municípios que recebem 50% do IPVA. Incentivo exclusivamente para os embarques de grãos, frutas e carnes para exportação.





APPIO LUTA PARA DIMINUIR IPVA DOS CAMINHÕES



Francisco Appio lembra que no Governo Britto (1995/1998) os caminhoneiros conquistaram a redução do IPVA de 3 para 1% do valor de seus caminhões. A taxa dos automóveis caiu de 5 para 3% naquela administração, após mobilização intensa do parlamentar, na época, Líder da Bancada do PDS (1996).



As últimas notícias/opiniões no www.twitter.com/franciscoappio





Deputado Estadual Francisco Appio - www.appio.com.br

Destaque Vermelho

DESTAQUES DA EDIÇÃO DE
HOJE DO PORTAL VERMELHO

TV Vermelho

Conclat abre caminho para unificação de todas centrais em uma

ANPG: congresso de massa elege 1ª presidente negra da entidade


"Foi um ataque terrorista", destaca Ricardo Abreu


Ataque provoca protestos no mundo
Ataque provoca protestos no mundo
Brasil defende ação enérgica da ONU sobre Israel

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, disse que o Brasil espera que a ONU adote uma reação enérgica em relação a Israel por causa do ataque a navios que levavam suprimentos para a população da Faixa de Gaza.



Projeto de governo
Dilma propõe Estado regulador e indutor
Crise se aprofunda
A recaída da Europa na crise econômica global
Eleições 2010
Flávio Dino apresenta chapa em Imperatriz (MA)
Questão nuclear
Conferência termina sem avanços no desarmamento


A Conclat e o novo protagonismo dos trabalhadores


Altamiro Borges
Mercosul deve romper acordo com Israel

Eron Bezerra
Colômbia, nós te aguardamos

Mazé Leite
Por falar em Grécia...

Marco Albertim
A moça e o fotógrafo

Eduardo Bomfim
Crise de identidade e ligações perigosas

Ronaldo Carmona
Estados Unidos buscam sabotar Acordo de Teerã



Esta é uma mensagem automática, favor não responder

Destaques do Vermelho é um serviço diário gratuito do www.vermelho.org.br

Para cancelar


Alterar seus dados


Encaminhar a um amigo

Drogas em Vacaria RS

As emissoras de rádios que possuem um concessão pública deveriam abrir um debate mais amplo e democrático mas infelizmente com algumas emissoras de Vacaria não acontece isso aí sempre fica a verdade e as ideias de uns prevalecendo sobre a tese de outros. Hoje como sempre num estabelecimento comercial de um amigo que estava sintonizado numa rádio tal de nossa cidade. Ouvimos sobre a questão das drogas em nosso município principalmente o crack. Uma entidade o qual não conheço muito bem mas o pouco que observei num Encontro da Semana da Mulher em 2007 me deixou uma má impressão da forma autoritária e meio militarizada como usuários de drogas são tratados e esse problema é tratado num método meio estranha, como eles fossem lixo da sociedade, tratado de forma militarizada com muita truculência e forma de tratamento muito rude. Eu com certeza se tivesse um filho neste estado não levaria para essa entidade Amor Exigente. Mas nós aqui somos democráticos e abrimos o espaço para que os mesmos coloquem as suas ideias. Mas não podemos nos furtar em dar a nossa opinião sobre o que observamos parcialmente e até entrevistas concedidas em emissoras de rádio demonstra uma certa radicalidade, autoritarismo e arrogância sobre o tema.

Os melhores clubes de Futebol do Mundo

Cruzeiro cai para sexto no ranking mundial de clubes da IFFHS
01 de Junho de 2010 07:52
130 Recomendações

* Recomendar
* Comentar

Madri, 1 jun (EFE).- Apesar de ocupar a nona posição no Campeonato Brasileiro e de ter sido eliminado na Taça Libertadores, o Cruzeiro é o clube brasileiro mais bem colocado no ranking mundial de clubes divulgado nesta terça-feira pela Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS).

Com 239 pontos, o time celeste está em sexto lugar na lista referente ao mês de maio - duas posições abaixo da que ocupava em abril.

A liderança é dividida entre Inter de Milão, que conquistou recentemente o título da Liga dos Campeões da Europa, e Barcelona, campeão espanhol. As duas equipes têm 297 pontos, e são seguidas na classificação por Estudiantes (286), atual campeão da Libertadores, e Bayern de Munique (257).

Depois do Cruzeiro, os times brasileiros mais bem colocados são Corinthians (23º, com 203 pontos) e São Paulo (27º, com 199).

.

Confira os dez melhores clubes no ranking da IFFHS:.

.1. Inter de Milão (ITA) 297.

. . Barcelona (ESP).

.3. Estudiantes (ARG) 286.

.4. Bayern de Munique (ALE) 257.

.5. Roma (ITA) 248.

.6. Cruzeiro (BRA) 239.

.7. Chelsea (ING) 236.

.+. Werder Bremen (ALE).

.+. Fulham (ING).

10. Atlético de Madri (ESP) 231.

---

23. Corinthians (BRA) 203.

27. São Paulo (BRA) 199.

33. Internacional (BRA) 193.

38. Flamengo (BRA) 181.

43. Fluminense (BRA) 170.

97. Vitória (BRA) 120.

. . Grêmio (BRA).

100. Palmeiras (BRA) 119.

121. Santos (BRA) 110.

126. Botafogo (BRA) 108.

143. Goiás (BRA) 102.

148. Atlético-MG (BRA) 100.

185. Avaí (BRA) 90.

237. Atlético-PR (BRA) 80.

261. Coritiba (BRA) 76.

. . Prudente (BRA). EFE.
Fonte: Yahoo

Deputado Federal Pepe Vargas





Dilma defende Regulamentação da Emenda 29
A pré-candidata do PT à presidência da república, Dilma Rousseff, afirmou na última quinta-feira (27.05), em Gramado, durante o 26º Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde e 7º Congresso Brasileiro de Saúde, Cultura de Paz e Não-Violência, que a Regulamentação da Emenda Constitucional 29 (EC 29) deve ser vista como uma pauta urgente. “Eu reafirmo o nosso compromisso com o SUS, que é, certamente, o maior Sistema de inclusão do Brasil, servindo até de referência para outros países. Depois da perda dos R$ 40 milhões, para a saúde, com a extinção da CPMF, é fundamental que haja a regulamentação da EC 29. Esta é a minha posição, que já deixei clara desde a Marcha dos Prefeitos”, destacou. Dilma declarou que a regulamentação é imprescindível para cumprir os serviços, com uma receita permanente. Leia mais.

Assista o vídeo da visita de Dilma a Gramado.
Roberto Stuckert Filho/Divulgação

Dilma falou dos avanços do governo Lula na área da saúde
Programa do governo Lula traz mais segurança para Caxias

O Programa Nacional de Segurança Pública (Pronasci), do governo Lula, vai garantir mais segurança aos caxienses com a instalação de 20 câmeras. A compra dos equipamentos é resultado do convênio entre a prefeitura e Ministério da Justiça, assinado em 2009. No dia 17 de dezembro, o então ministro da Justiça, Tarso Genro (PT), esteve visitando a cidade para o ato de assinatura. Foram liberados R$ 1,2 milhão por meio do Pronasci. A contrapartida do município é de R$ 25 mil. Na segunda-feira, a prefeitura lançou o edital de licitação para compra das câmaras.
Leia mais.

Cassiano Farina

Tarso esteve em Caxias em dezembro falando do Pronasci
Site Casa Arte/Artista: Sérgio Lopes

Espaço abrigará obras como a do
artista Sérgio Lopes Recursos do governo Lula garantem Casa para o Amarp

Criado na administração do então prefeito de Caxias do Sul, Pepe Vargas, hoje deputado federal, o Acervo Municipal de Artes Plásticas (Amarp), percorreu longo caminho na administração atual até receber um destino adequado. Somente na última terça-feira (25.05), cinco anos após a sua criação, a prefeitura assinou a ordem de início para a construção da reserva técnica do Amarp. O novo espaço, onde ficarão guardadas as peças artísticas em condições adequadas de conservação, será construído no saguão do Centro de Cultura Henrique Ordovás. Leia mais.

Inclusão de uva, maçã e banana no Programa de Garantia de Preço da Agricultura Familiar
O deputado federal Pepe Vargas (PT/RS) solicitou ao ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, a inclusão no Programa de Garantia de Preço da Agricultura Familiar (PGPAF) dos produtores de uva, maçã e banana das regiões da Serra, Campos de Cima da Serra e Litoral Norte. O pedido foi encaminhado pelo deputado, via ofício, para ser avaliado nesta sexta-feira, 28 de maio, durante a reunião do Comitê do PGPAF. Leia mais.


Márcio Schenatto

Lemos dedicou a vida na luta pelos trabalhadores Homenagem a Joaquim Boeira de Lemos
No dia 19 de maio o movimento sindical perdeu, aos 86 anos, Joaquim Boeira de Lemos. Militante desde os anos de 1930, Lemos dedicou sua vida a luta pelos direitos dos trabalhadores. Participou de grandes manifestações e sempre esteve presente nas atividades sindicais. Joaquim foi o 1º secretário na gestão de Romeu Pieruccini em 1982. Ficou um tempo afastado da direção e voltou em 1993. Atualmente, era responsável pelo Departamento de Aposentados, função exercida até final do ano 2009, quando afastou-se do sindicato por definitivo, por causa de um câncer.
O deputado Pepe Vargas (PT/RS), salientou que a história do seu Joaquim deve servir de exemplo para as atuais gerações de trabalhadores. “Mesmo vivendo toda sorte de dificuldades ele nunca deixou de acreditar na possibilidade dos trabalhadores conquistarem melhores dias a partir da sua organização”. Leia mais sobre a história deste sindicalista.



Pepe entre 100 parlamentares mais influentes de 2010
O deputado federal Pepe Vargas (PT/RS) pela segunda vez consecutiva em seu mandato aparece entre os 100 parlamentares mais influentes do Congresso Nacional, conforme 17º pesquisa do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). A seleção foi divulgada nesta sexta-feira (28.05). A escolha dos nomes leva em consideração o cargo ocupado pelo parlamentar no Congresso, a influência sobre os demais colegas na tomada de decisões e o envolvimento na discussão de matérias relevantes, de interesse da sociedade. Ao todo, são elencados 69 deputados e 31 senadores.
Agência Câmara

Pepe na Tribuna da Câmara



Gabinete Regional
Av. Júlio de Castilhos, 3658 - CEP 95010-002 - Bairro Cinquentenário, Caxias do Sul, RS - Tel.:(54) 3025.1301

Gabinete Nacional
Câmara dos deputados, Anexo IV, gabinete 545 - CEP 70160-900, Brasília, DF - Tel.:(61)3215.5545 / Fax:(61)3215.2545 - dep.pepevargas@camara.gov.br

Caso não queira mais receber nosso e-mail,
Descadastre-se

Diplo


bibliotecadiplô e OUTRASPALAVRAS

Boletim de atualização de Outras Palavras e Biblioteca Diplô - Nº 7 - 29 de maio de 2010



Bicudo: luta contra tortura prossegue na OEA
Para jurista, STF interpreta ideologicamente a lei da Anistia, expõe Brasil a desgaste internacional e perpetua violência no sistema de prisões. Entrevista a Ana Helena Tavares







Des-nacionais
Um pedaço do Congo no Brasil, um Brasil no Congo. Reportagem-crônica sobre uma nova imigração no Rio de Janeiro. Por Síndia Santos




José Luís Fiori analisa: "Um acordo e seis verdades"
"Mensagem foi clara: Brasil quer ser uma potência global e usará sua influência para ajudar a moldar o mundo


Oriente Médio: a vez da Rússia?
Aproveitando-se da completa cegueira ocidental frente ao Islã, Medvedev visita a Síria e inicia ofensiva diplomática. Por Robert Fisk


Uma Kombi de encher os olhos
“Aqui é o cego. Sou eu quem decido o que quero comprar. Dinheiro, tenho. Vai vender o carro ou não? Chéri à Paris, por Daniel Cariello



---
Outras Palavras é a nova versão do boletim de atualização do Le Monde Diplomatique, agora vinculado à Biblioteca Diplô e o site Outras Palavras. A reprodução é benvinda. Interessados em recebê-lo devem clicar aqui. Para deixar de receber, aqui.

-----Anexo incorporado-----


_______________________________________________
Boletimdiplo mailing list
Boletimdiplo@listas2.rits.org.br
http://listas2.rits.org.br/mailman/listinfo/boletimdiplo

Revista Veja







28 de maio de 2010

Caro leitor, aqui estão os destaques de VEJA desta semana.

VEJA.com - veja@abril.com.br





Edição da semana (n° 2167 - 2 de junho de 2010)


Especial
Copa do Mundo 2010
O Guia da Copa de VEJA é uma edição que, para muito além do papel, oferece um show de interatividade. Há nele uma série de novos recursos tecnológicos aplicados à internet, todos cuidadosamente casados com reportagens da revista impressa.

• Índice da edição




Entrevista
Chef inglês Jamie Olivier diz que a cozinha é para todos
Eleições
Ameaças, intrigas e dossiês durante a campanha do PT





Impostos
Tributo europeu, serviço africano
Brasileiro não tolera mais pagar tanto imposto. Diplomacia
Paraguai: síndrome do pedinte rico
País mente sobre PIB para conseguir esmolas.




Saúde
Orientações sobre o uso de sal fica ainda mais rigorosa
Tecnologia
Apple supera Microsoft em valor de mercado





Esporte
Rúgbi ganha status olímpico em 2016
Será preciso treinar muito para não dar vexame. Guia
O que ajuda (ou não) a resistir às gripes
Mitos e verdades sobre como melhorar a resistência.




Roberto Pompeu de Toledo
O fantasma se diverte
Maílson da Nóbrega
O Banco Central erra, mas





Destaques on-line
Reportagem
Crianças globalizadas. Elas passam infância e juventude longe do país onde nasceram



Reportagem
Os 60 aplicativos mais populares para os quatro modelos de celulares mais usados
Reportagem
Conheça os dez postulantes ao cargo de presidente da República



Vídeo
Especial com seis vídeos sobre casamento. Os destaques são:
Sugestões para um casamento mais barato
O papel, direitos e deveres do noivo
O que é união estável perante a lei





Acesse http://veja.abril.com.br/pst/newsletter para cancelar o envio deste e-mail
Nosso serviço de cadastramento solicitará seu e-mail e senha. Se não souber a senha, digite seu e-mail e clique no item "Esqueci minha senha". Uma senha provisória será enviada para sua caixa postal para possibilitar o acesso ao serviço.
Colunistas
Blog
Reinaldo Azevedo
Evo, o protegido de Lula, continua a dirigir cocaleros


"O Brasil paga para, na prática, o governo da Bolívia meter cocaína no nosso território."

Radar on-line
Lauro Jardim
'Passione' patina


"Vai terminando a segunda semana de exibição e nada de a nova novela das oito levantar."



Coluna
Augusto Nunes
Homem Sem Visão: Marta, Branco, Tuma ou Dunga?


"A votação na enquete está fervendo! Nada está decidido! Que vença o pior!"

Genética
Mayana Zatz
Dolly e Craig Venter


Blogs da redação
Política
VEJA nas Eleições
Serra ocupa programa do DEM na TV na quinta-feira


VEJA Acompanha
Fashion Rio
Evento traz as tendências para o verão de 2011


Variedades
Dez mais
As 10 famílias de famosos que beiram à perfeição


Futebol
Blog da Copa
Dunga compara time atual a tetracampeões de 1994

Carta do Filho

Emocionante, é longa mas vale conferir





Carta do filho de Plinio Marcos
Meu pai morreu

Dia 19 de novembro é aniversário da morte do meu pai, escrevi este texto no
dia em que ele morreu: 19 de novembro de 99.

Meu pai morreu. Todo pai morre. Agora estou aqui pensando: o que foi que meu
pai me deixou? Apartamento? Não. Carro?Nem uma bicicleta. Dinheiro? Ele não
conseguia pagar nem as próprias contas. Mas pagava a dos filhos. Roupas? Só
um chinelo velho, mas meu pé é maior. Sem testamento, sem herança, sem nada?
As peças. As peças de teatro? De quem são as peças de teatro? Meu pai era
escritor. Escritor de teatro. Teatro? Teatro dá dinheiro. Tem gente que
escreve peça pra ganhar dinheiro. Não, meu pai não. Não ganhou muito
dinheiro com teatro. O que ganhou, gastou. Deu dinheiro pra muita gente. Meu
pai não era um bom administrador. Era um "maldito", diziam, um "marginal",
mas não era bandido. Por que ele era maldito, afinal? Será que não pensava
nos filhos? Por que não escreveu peça pra ganhar dinheiro? "Ninguém tem
direito de pedir a um artista que não seja subversivo.". Meu pai escrevia
sobre puta e cigano sem dente. Puta, cigano sem dente e cafetão. Puta,
cigano sem dente, cafetão, presidiários, desempregados e fudidos. Puta e
cigano sem dente? Puta, cigano sem dente e cafetão é chato, porra! Puta,
cigano sem dente e presidiários não dava dinheiro. Puta, cigano sem dente e
desempregados não tinha "patrocínio". Mas eu queria tênis americano, eu
queria camisa Lacoste, camisa Hang Ten.

Meu pai tinha que ganhar dinheiro. Por que ele insistia em escrever peças
sobre puta, cigano sem dente, cafetão e presidiários? Ele insistia. Puta,
cigano sem dente, cafetão, presidiários, desempregados e fudidos. E o ator e
Jesus Cristo e nada de "comédia comercial". Mas eu queria o meu "All Star",
eu queria ter todos os discos dos Beatles. "Pai, me dá dinheiro pra comprar
uma guitarra!" E eu tive, eu tive a tal guitarra, eu comprei todos os discos
dos Beatles com o dinheiro dele (depois tive que comprar tudo de novo em CD
com o meu dinheiro e agora dá pra baixar de graça na internet). Calça boca
fina, camisa Hang Ten. Onde ele arrumava dinheiro? Onde ele arrumava
dinheiro pra me comprar tênis "All Star"? Ele achava que isso era "lixo
americano". Ele achava que essa merda importada só servia pra aumentar a
nossa alienação. Meu pai era generoso. Ele não ia deixar de me dar uma
coisa que eu queria, só porque ele achava que o que eu queria era imposto
pela sociedade de consumo. Ele tentava me orientar, mas respeitava minha
opinião de adolescente alienado. Onde ele arrumava dinheiro?

Era época de ditadura. Escrever sobre puta, cigano sem dente, cafetão e
presidiários, incomodava os "poderosos". Porra, ainda mais essa! Já escreve
sobre coisa que não dá dinheiro, mas além de não dar dinheiro, ainda é
proibido? "Pai, me dá dinheiro pra comprar disco do Bob Dylan!".

Meu pai fez novela, fez Beto Rockfeller. Mas Beto Rockfeller não conta, Beto
Rockfeller era A novela, tinha a cara dele, era revolucionária. Ele fazia o
Vitório, o melhor amigo do Beto. Ele ganhou um dinheiro, me comprou um
tênis, uma guitarra, um... Mas A novela era na Tupi. A Tupi faliu. Meu pai
foi fazer novela na Rede Globo: "Bandeira 2". Mas a Globo é no Rio, o Rio
tem praia, ele cabulava as gravações e ia pra praia: "Novela é chato pra
caralho, porra! O direito da gente coçar o saco é sagrado.", ele dizia. Ele
ia pra praia e lá ficava indignado porque naquela época a Globo não punha
negros nas novelas e quando punha era nos papéis de escravo ou mordomo. Meu
pai escreveu no jornal "A Última Hora" do Samuel Wainer, onde ele
trabalhava, que a Globo botou a Sônia Braga dois meses tomando sol pra ficar
escura, em vez de chamar uma mulata pra fazer "Gabriela". A Globo não
gostou. Os "poderosos" da Rede Globo não gostaram. Fizeram ameaças, juraram
de morte. Em fim, a Globo não dava mais. Quando ele tava por lá, ele bem que
quis escrever novela. Afinal, eu queria dinheiro pra comprar tênis, disco,
guitarra. Mas novela de puta, cafetão e cigano sem dente? Não, novela de
puta, cafetão e cigano sem dente não dá. Se fosse cigano com dente,
musculoso e mau ator, aí dava. Agora, cigano sem dente, pobre e fudido, não
dá. Então não dá. "Na televisão brasileira, artista estrangeiro morto
trabalha mais do que artista brasileiro vivo." Tudo bem, não podia fazer
peça de puta porque a ditadura não gostava, não podia novela de cigano
pobre, fudido e sem dente porque a T.V. não queria. Então o que que podia?
Não podia nem chamar a Rede Globo de racista, nem nada. A sinopse que ele
fez pra uma novela quando finalmente a Globo chamou ele, era de uma tribo de
ciganos que estupravam as filhas dos empresários e...bem, não aprovaram. E
as portas iam se fechando. E a ditadura ali, descendo o cassete. E eu queria
o meu tênis "All Star"! "Pai, porra, pai, eu quero dinheiro pra comprar time
de botão!" Mas enquanto os "poderosos" iam dizendo: Não! Não! Não! Ele ia
ganhando o respeito dos humildes de coração, um "povo que berra da geral sem
nunca influir no resultado", um povo fudido, os marginais, as putas, os
ciganos sem dente, os presidiários, um povo que não aparecia na T.V. "Pobre
na Rede Globo almoça e janta todo dia". Pobre na Rede Globo tem dente,
favela na Rede Globo não tem rato. Esse povo não era o povo dele. O povo
dele era entre outros, os sambistas, não esses de agora, de terno Armani,
cercados de loiras recauchutadas, mas, os sambistas das escolas de samba de
São Paulo. Os sambistas marginalizados, os que nunca gravaram CD. O Zeca da
Casa Verde, o Talismã, o Jangada, o Toniquinho Batuqueiro, o Geraldo Filme,
enfim, os que morrem na merda. "Silêncio, o sambista está dormindo, ele foi,
mas foi sorrindo, a notícia chegou quando anoiteceu...".

Então a solução era fazer show com os sambistas. Meu pai contava histórias e
os sambistas cantavam suas músicas. Mas os sambistas eram crioulos. Negros?
Negro não podia. Em plena ditadura, Plino Marcos e "a negrada"? Que papo é
esse? Poder, podia, mas ninguém queria ver. "A burguesia não me quer", ele
dizia. Não podia peça de puta e novela de cigano sem dente pobre e fudido,
não podia dizer que a Globo era racista e ninguém queria ver show com "a
negrada". Então o que que podia? "Pai, me dá dinheiro pra comprar figurinha
do álbum Brasil Novo!"

A ditadura quando eu tinha 7 anos tava em todo lugar, em cada esquina, no
meio de cada casal que fazia "amor com medo", nos porões do Doicodi e nas
torturas atrozes que muitos sofriam e eu lá: "Pai, me leva na Expoex, pai,
me leva na Expoex! A Expoex é a exposição do exército! Eu quero ver os
soldados, pai! Eu quero ver os tanques!" E ele me levava. Senão eu chorava.
Eu chorava se eu fosse censurado e não pudesse ver a Expoex.

Quando eu tinha uns 12, 13 anos, lá estava o ônibus da escola pronto pra
partir pra Porto Seguro com todos os meus amiguinhos dentro e os pais, do
lado de fora, dando tchauzinho. E um amiguinho meu perguntou: "Quem é seu
pai?" Eu não tive dúvida: "Meu pai é aquele!" E o meu amiguinho: "Aquele de
terno e gravata? Aquele que tá conversando com o meu pai?" E eu: "É,
aquele." O meu amiguinho gritou: "Pai, esse aí é o pai do Leo!" E a
professora ouviu. Não, meu pai não era aquele de terno e gravata. Meu pai
era outro. Era o que todo mundo tava chamando de mendigo. Meu pai era aquele
de macacão e chinelo! Gordo de macacão e chinelo! "O pai do Leo é mendigo, o
pai do Leo é mendigo!" Afinal, quem trabalha tem que usar terno e gravata.
Naquela época, um moleque de 12, 13 anos, era um tapado. Ou isso era
característica minha? "Pai, por que você não trabalha? Pai, por que você
dorme até meio dia? Pai, por que o pai do Paulinho tem carro e você não? Por
que você chega de madrugada em casa? Pai, por que você anda de macacão e
chinelo? Pai, me dá dinheiro pra comprar..." E o meu pai me dava dinheiro.
Eu estudava em escola de "burguês". Eu estudei nas "melhores escolas". E
olha que o meu pai odiava escola. "A cultura nas mãos dos poderosos
constrange mais do que as armas; por isso, a arte e o ensino oficiais são
sempre sufocantes", ele dizia. Ele saiu da escola na 4ª série do primário.
Ele era canhoto. Na escola, as professoras o obrigavam a escrever com a mão
direita. Ele fugiu da escola, ele sempre foi da esquerda. Era chamado de
analfabeto. Com 21 anos escreveu "Barrela!". "Me chamavam de analfabeto,
como se isso fosse privilégio meu, neste país." Meu avô queria que ele
trabalhasse no Banco do Brasil, mas ele queria é subir num banco no meio da
praça e fazer números de palhaço. A família chegou até a pensar que ele era
débil mental. Meu pai foi pro circo. Ele amava o circo. Foi ser palhaço de
circo. Era o palhaço Frajola. A escola dele era o circo, a minha era escola
de "burguês". Mas como ele pagava a minha escola?

Foi preso, foi solto, ameaçado, escrevia em jornais e revistas, quase todos
que existiam. Foi despedido de todos. A censura não queria meu pai
escrevendo em lugar nenhum. O que fazer? Sair do país? Ele não falava
direito nem o português. O que fazer? "Pai, me dá dinheiro pra comprar uma
calça Soft Machine!".

Uma vez o meu pai tava com uma dívida muito grande, tava com dificuldade de
pagar as prestações de um apartamento que ele comprou pra gente. Daí um belo
dia a Ford ligou pra ele, convidando pra fazer um comercial. Era uma puta
grana, dava pra pagar as dívidas e ficar bem tranqüilo por uns tempos. Meu
pai não fazia comercial.

Foi vender livro na rua. Nas portas dos teatros, nas portas das faculdades,
nos bares. Foi vender livro na porta de teatros aonde se apresentavam
artistas piores do que ele. Ele mesmo editava os livros, ele mesmo ia
vender. E podia? Não. Não podia. Várias vezes ele foi expulso pelo "rapa"
como um camelô comum. E ele chorava? "Perseguido, o caralho! Eu não sou
nenhum mosca-morta. Eu fiz por merecer. Fui uma pessoa que aproveitou bem a
fama. Eu apedrejei carro de governador, quebrei vidraça de Banco. Foi uma
farra. Não teve mau tempo." Tinha. Tinha mau tempo, mas ele não reclamava,
eu nunca ouvi o meu pai reclamando da vida. Eu nunca ouvi o cara dizer que a
vida tava difícil, ou que era "foda". Não. Ele só reclamava das injustiças.
Ele berrava contra as injustiças, os preconceitos, a apatia. Meu pai é o
Plínio Marcos, porra! Bela merda, tem gente que nunca ouviu falar. Pra
muitos era só um fudido que não deu certo na vida, andando feito mendigo
pelo centro da cidade. Já morreu. Não era melhor do que ninguém. (Não?)

"Tudo se consegue com esforço; não se chega a lugar nenhum sem caminhar."

Com 15 anos eu quis sair da escola. Ele disse: "Sai logo dessa merda, eu te
sustento até você encontrar sua vocação!" Eu saí, eu saí daquela merda na
metade do 1º colegial. Acho que qualquer ser humano com o mínimo de
sensibilidade, sabe: o ensino do jeito que é, faz mal pra saúde.

Eu devia ter uns 17 anos, era de madrugada. Eu morava com ele. Eu tava na
mesa da sala com o violão, triste, querendo encontrar a minha vocação, sem
saber o que dizer, inibido, pensando em todos os artistas que eram muito
melhores do que eu. Meu pai levantou pra tomar água, me viu ali, não disse
nada. Foi até o escritório, voltou com um livro e leu um poema pra mim. "O
corvo" do Edgar Allan Poe. Não disse nada, só leu a poesia. Não foi o
conteúdo, foi o tom da voz dele, aquela voz doce que ele tinha. Ele
declamava e eu ouvia como se ele me pegasse no colo. Foi dormir e me deixou
ali, ouvindo o corvo dizer: "para sempre!". Eu virei escritor, com 21 anos
escrevi "Dores de Amores". Meu pai era um incentivador, idolatrava os
filhos. Queria ser mergulhador só porque o Kiko, meu irmão, é. A Aninha,
minha irmã, era tudo pra ele. Eu fiz vários shows com ele, pelas faculdades,
pelos teatros, pelos bares. Ele contava histórias e eu tocava violão. Meu
pai era generoso, violento, essencial, amava, amava tanto as pessoas que
chegava mesmo a odiá-las. Lutava, berrava e me acordava. Meu pai não me
deixou apartamento, carro, dinheiro, bicicleta. Nem o chinelo dele me serve.
Eu tive e tenho que ganhar o meu próprio dinheiro. Até hoje, muito pouca
gente quer montar as suas peças e muito pouca gente quer assistir. Meu pai
já não precisa mais vender livro na rua, pra quem não quer comprar, ou pra
quem compra só pra "ajudar". O que eu mais queria é que ele me ouvisse
agora: "Pai, você não me deixou nada que se possa enxergar. Nem carro, nem
apartamento, nem bicicleta, nem chinelo. Me deixou a sua indignação, um
pouco do seu temperamento, a lembrança de ver você acordando todo dia com
uma puta força de vontade, com uma puta vontade de viver, sempre alegre,
sempre fazendo piada das próprias desgraças, sempre dando tudo que ganhava
pros filhos, sem nunca acumular porra nenhuma." E se ele me escutasse ele
diria, com um sorriso malandro sem dentes, segurando as lágrimas: "Ê, Leo
Lama!" Meu pai não sabia receber elogios. Mas se ele me ouvisse agora, eu
diria:

Pai, eu preciso te contar, no seu velório foi muita gente, pai. No seu
velório, estiveram os maiores artistas do país. Médicos, políticos,
advogados, empresários, fãs, gente do povo, crianças e os sambistas. Os
sambistas cantaram sambas em sua homenagem, pai. Suas mulheres, seus amigos,
seus inimigos, todos nós, todos nós te aplaudimos quando o seu caixão foi
colocado em cima do carro de bombeiro. Eu tava segurando uma aba, o Kiko
outra. Você foi cremado, pai. Seus amigos fizeram discursos emocionados,
disseram: "Plínio Marcos, um grito de liberdade!" Nós jogamos suas cinzas no
mar de Santos. Na ponta da praia, onde você passou sua infância. O
Jabaquara, seu time, ficou na porta do pequeno estádio, uniformizado, com a
mão no coração, vendo o cortejo passar. O povo na areia batia no surdo e
entoava um canto mudo no crepúsculo santista e nós no barco deixávamos você
escorrer pelos nossos dedos como se você nem tivesse existido. Eu ainda quis
te achar no meio do mar, mas de repente já era só o mar. E você foi, como
todo mundo vai.

É isso aí, pai: tanta gente te amava. Você sabia? Acho que ninguém te amou
tanto como a minha mãe. O amor dela ecoa em mim.

Mas, e eu, pai? E eu? Será que eu vou ter a mesma fibra que você? Eu não
gosto de viver como você gostava. Eu não tenho a sua coragem. "A poesia, a
magia, a arte, as grandes sabedorias não podem habitar corações medrosos."
Eu acho que eu vou me vender, pai, eu acho que eu já sou um vendido. Eu só
queria ser essencial, essencial como você. É difícil. Eu reclamo. A vida tá
uma bosta! Tá difícil de encontrar pessoas essenciais, pai. As pessoas só
falam e pensam no que é supérfluo. Eu não tenho assunto. Eu me sinto
sozinho. Eu não sei sobre o que escrever. O mundo tá se destruindo, tem
muita gente fudida, tem muitas festas e muita fome. Que indecência, pai, que
vergonha que eu sinto desse tempo que eu vivo. Eu sei que você não tem saco
pra choramingo, pai, mas me deixa desabafar, pai, só hoje, me deixa te falar
sobre o sonho dessa gente, você sabe, essa gente, os "homens-pregos", fixos
no mesmo lugar. Essa gente quer ter carro, pai, casa com piscina, essa gente
quer ser rica e famosa, essa gente quer ser musculosa e quer ter bunda, essa
gente diz que acredita em Deus e fode ele, essa gente não quer ser
essencial, pai, essa gente... essa é a minha gente, pai, às vezes eu me olho
no espelho e me acho parecido com essa gente. Me perdoa.

Um beijo do seu filho, Nado, que ainda usa o nome artístico que a gente
inventou juntos: Leo Lama









-----Anexo incorporado-----


_______________________________________________
Cartaoberro mailing list
Cartaoberro@serverlinux.revistaoberro.com.br
http://serverlinux.revistaoberro.com.br/mailman/listinfo/cartaoberro

Anos de Chumbo

Tortura e luta pela anistia são foco de novo filme sobre os anos de chumbo
LUIZ VITA
Especial para o UOL, do Cineweb
LEIA MAIS
•VEJA FOTOS DO FILME
•LEIA MAIS SOBRE AS GRAVAÇÕES

O diretor gaúcho Paulo Nascimento se prepara para lançar seu quarto longa metragem, “Em teu nome”, num momento especialmente propício para o debate: o da polêmica suscitada pela decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em não revogar a anistia política para acusados de terem torturado presos políticos. O filme, rodado no Rio Grande do Sul, França e Marrocos, aborda de forma romanceada a vida do ex-preso político João Carlos Bona Garcia, exilado durante a década de 1970 no Chile, Argélia e França.

O filme, exibido no ano passado no festival de Gramado e vencedor de quatro Kikitos (diretor, ator para Leonardo Machado, trilha sonora e prêmio especial do júri), estreia no próximo dia 28 em São Paulo, Porto Alegre, Curitiba, Rio, Salvador e Brasília. A empresa Espaço Filmes, responsável pela distribuição, fará promoção destinada a professores com ingressos a R$ 3 em alguns cinemas, em sessões durante a semana. “Temos uma flexibilidade muito grande de buscar caminhos alternativos para fazer o filme chegar ao público”, afirma Paulo Nascimento em entrevista ao UOL Cinema.

O filme conta a história de um grupo de militantes políticos que passa para a luta armada com o recrudescimento da ditadura no Brasil após a edição do AI-5. O papel de Bona, na época estudante de engenharia, é interpretado por Leonardo Machado, que acaba se aprofundando nas ações do grupo, mesmo com muitas restrições aos métodos utilizados. As divisões internas da esquerda brasileira são mostradas de forma didática, pensando principalmente no público mais jovem, que não viveu aquele período. “Ao começar a mexer nesse assunto, me impressionou a total falta de memória, de informação ou até de descrença sobre a realidade dos fatos, que a nova geração tem. Já os mais velhos, em muitos casos, situam o assunto na mesma linha de tempo da Guerra do Paraguai”, explica o diretor.

Por esse motivo, o filme situa o espectador com informações históricas sobre cada momento enfrentado por Bona e militantes de seu grupo, a Vanguarda Popular Revolucionária (VPR), autora de assaltos e do seqüestro do embaixador suíço Giovanni Enrico Bucher, liderado pelo capitão do Exército Carlos Lamarca. Bona, na prisão, estava no grupo de 70 guerrilheiros presos trocados pelo diplomata. O estudante partiu para o exílio no Chile, depois Argentina, Argélia e França e só retornou ao Brasil em 1979, com a promulgação da lei da Anistia.
Nascimento revela que tinha intenção de contar a história desse período de forma ficcional e chegou a Bona e sua mulher, Célia, por indicação de um amigo. “Ao ouvir os dois contarem o que viveram, percebi que jamais conseguiria criar algo melhor. A história tinha todos os componentes que eu queria: emoção, determinação, amor, superação, tudo o que se busca para um roteiro e raramente se consegue”, lembra.

O diretor ainda aprofundou suas pesquisas em conversas com outros ex-presos políticos, como Índio Vargas, autor do livro “Guerra é Guerra, dizia o Torturador”. “Digamos que 70% da história é baseada em um só pessoa, mas ela carrega traços de várias outras, até porque há uma similaridade bastante forte entre os que sucumbiram”.

Mesmo tratando de fatos tão horripilantes, como a tortura, o filme passa uma serenidade explicada pelo próprio personagem principal que, com o passar do tempo, entende que o passado precisa ser superado. “Não manter o ódio, até como forma de sobrevivência, mas não fazer de conta que nada aconteceu. Os fatos foram graves, os erros foram graves, os tempos mudaram, mas existiram”, resume o diretor.

Uma figura emblemática da história é a personagem interpretada por Sílvia Buarque que, no exílio, não consegue se encaixar na nova vida, mais segura em outro país. As sequelas do período em que foi torturada nunca foram superadas e só aprofundaram seu alheamento da realidade e desistência da vida. “Quando se resolve retratar a realidade sem retoques, o público pode até duvidar, mas a verdade é mais forte”.

Nascimento já tem um novo projeto que deverá ser filmado a partir de fevereiro do próximo ano. O filme vai se chamar “A Oeste do Fim Do Mundo” e será uma coprodução entre Brasil, Argentina e Inglaterra.




-----Anexo incorporado-----


_______________________________________________
Cartaoberro mailing list
Cartaoberro@serverlinux.revistaoberro.com.br
http://serverlinux.revistaoberro.com.br/mailman/listinfo/cartaoberro

Ditadura Nunca Mais

DIVULGUE - passe adiante

Endereço eletrônico do vídeo DITADURA, NUNCA MAIS
http://www.youtube.com/watch?v=RUTOXN8Ho4c
Letra, música, interpretação e roteiro - NARCISO PIRES
Arranjo - Ederson Renaud
Direção de vídeo - Luiz Gaparovic

PANFLETÃO ELETRÔNICO

O vídeo DITADURA, NUNCA MAIS é um panfletão eletrônico de 5 minutos. A sua construção observou três eixos:
1- A memória da Ditadura Militar no Brasil
2- A necessidade de se manter uma constante vigilância para se garantir a liberdade e a democracia
3- Mostrar que a luta continua:
PELA CONSOLIDAÇÃO DA DEMOCRACIA:
- Abertura de todos os arquivos da repressão
- Responsabilização dos torturadores e assassinos da ditadura
- Instalação de uma Comissão da Verdade e da Justiça
- Pela descriminalização dos movimentos sociais
CONTRA A EXCLUSÃO SOCIAL:
- Por Justiça e pelo pão
- Pela Reforma Agrária
- Por saúde e educação

Por favor, divulgue o nosso vídeo. Mande-o para a sua lista de e-mail. Tem gente que ainda acha que a ditadura foi uma "ditabranda". Tem gente que nem sabe que vivemos uma dura época de ditadura militar. Para conseguirmos o pouco de democracia que temos hoje foi necessário muito suor, lágrima e sangue de inúmeros brasileiros.

Narciso Pires
Presidente do Grupo Tortura Nunca mais - Paraná

------------------------
Ana Miranda


-----Anexo incorporado-----


_______________________________________________
Cartaoberro mailing list
Cartaoberro@serverlinux.revistaoberro.com.br
http://serverlinux.revistaoberro.com.br/mailman/listinfo/cartaoberro

Quebrando Vitrine

Segundo informações um doido ou marginal anda quebrando vitrines de lojas no centro da cidade de Vacaria RS. Segundo informações as Câmaras de Video flagaram uma pessoa mas ela estava com um capuz que prejudicou a identificação. Com certeza o setor de inteligência da Brigada Militar e Policia Civil iram desvendar o mistério.

Furtos de Defesivos Agrícolas

Prosseguem investigações sobre furto de defensivos agrícolas
Polícia cumpriu mandados de busca e apreensão para identificar responsáveis

Através de investigações comandadas pelo Delegado Carlos Alberto Defaveri , a Policia Civil de Vacaria confirmou as suspeitas de que os agrotóxicos e defensivos apreendidos em um pomar em Muitos Capões eram produtos de furto. O dono da propriedade havia sido preso por tráfico de drogas.

Os defensivos aprendidos estão avaliados em R$ 6 mil. A maioria foi furtada de um pomar de maças, localizado às margens da BR 285 na Macena, em dezembro de 2009. As notas fiscais de compra, através do lote dos produtos adquiridos foram fundamentais para as investigações.

O furto de produtos agrícolas se tornou um crime comum na região. Uma série de furtos ocorrem também nas propriedades do interior de Vacaria, até as proximidades de Campestre da Serra.

Por este motivo, na última sexta-feira, 28/05, através de uma autorização judicial, Policiais Civis cumpriram mandado de busca e apreensão, para tentar localizar produtos e provas de autoria dos furtos. Só em Campestre da Serra, foram dez propriedades arrombadas. Além dos agrotóxicos foram levados armas, roçadeiras e motosserras.

As investigações apontam um rapaz de 26 anos como o principal envolvido nos furtos. Ele é natural de São José do Ouro e reside no Bairro Jardim América. O veículo utilizado nos crimes, um Gol, cor vermelha, foi apreendido pelos policiais.

Segundo a polícia, a maioria dos responsáveis pelos furtos reside em Vacaria. As investigações prosseguem para identificação os demais integrantes do grupo e apurar os receptadores desse material.



Tags: Polícia Civil, furto, defensivos agrícolas

Rádio Fátima AM (Jornalismo), 31/05/2010, 10h08

Imagens do Piratini





Rua da Cidadania em Pelotas
A presidente do Comitê de Ação Solidária, Tarsila Crusius, acompanhada do secretário de Estado da Educação, Ervino Deon, da Saúde, Arita Bergamann(E), e dos secretários do Desenvolvimento e dos Assuntos Internacionais, Josué Barbosa, da Segurança Pública, Gen. Edson Goularte e da Cultura, Cézar Prestes(D), durante a abertura oficial da Rua da Cidadania em Pelotas, na região sul do Estado.


Local: Pelotas - RS
Data: 29/05/2010
Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini
Código: 34654

Rua da Cidadania em Pelotas
A presidente do Comitê de Ação Solidária, Tarsila Crusius, conversa com moradores da região durante a Rua da Cidadania em Pelotas, na região sul do Estado.


Local: Pelotas - RS
Data: 29/05/2010
Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini
Código: 34659

Rua da Cidadania em Pelotas
A presidente do Comitê de Ação Solidária, Tarsila Crusius, acompanhada do secretário de Estado da Ciência e Tecnologia, Júlio César Ferst, visita o estande da Cientec durante a Rua da Cidadania em Pelotas, na região sul do Estado.


Local: Pelotas - RS
Data: 29/05/2010
Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini
Código: 34658

Rua da Cidadania em Pelotas
A presidente do Comitê de Ação Solidária, Tarsila Crusius(D), acompanhada do prefeito de Pelotas, Adolfo Fetter Jr., visita o estande da Corag, durante a Rua da Cidadania em Pelotas, na região sul do Estado.


Local: Pelotas - RS
Data: 29/05/2010
Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini
Código: 34661

Inauguração da sala de Cirurgia do Hospital de Caridade de Canguçu
A secretária da Saúde, Arita Bergmann, acompanhada (esq.) do prefeito de Canguçu, Cássio Luiz Freitas Mota, durante assinatura de aquisição de equipamentos do centro cirúrgico e obstétrico do Hospital de Caridade de Canguçu.

Local: Canguçu
Data: 29/05/2010
Foto: Antonio Paz / Palácio Piratini
Código: 34665

Inauguração da sala de Cirurgia do Hospital de Caridade de Canguçu
Solenidade de inauguração, ampliação e aquisição de equipamentos do centro cirúrgico e obstétrico do Hospital de Caridade de Canguçu.

Local: Canguçu
Data: 29/05/2010
Foto: Antonio Paz / Palácio Piratini
Código: 34668

Rua da Cidadania em Pelotas
A presidente do Comitê de Ação Solidária, Tarsila Crusius, acompanhada do secretário de Estado da Cultura, Cézar Prestes, visita o estande do Margs durante a Rua da Cidadania em Pelotas, na região sul do Estado.


Local: Pelotas - RS
Data: 29/05/2010
Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini
Código: 34662

Rua da Cidadania em Pelotas
Vista aérea parcial da estrutura montada no Largo Edmar Fetter, em Pelotas, para a Rua da Cidadania.

Local: Pelotas - RS
Data: 29/05/2010
Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini
Código: 34670

Rua da Cidadania em Pelotas
Muitas pessoas circularam durante todo o dia pelo Largo Edmar Fetter, em Pelotas, durante a realização da Rua da Cidadania.


Local: Pelotas - RS
Data: 29/05/2010
Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini
Código: 34671


Fonte: Piratini