Rádio WNews

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Tistu o menino do Dedo Verde Peça Teatral parte 6

Levante da Juventude Baiana


                        No dia 7 dezembro de 2012, o segundo dia do I Acampamento Estadual DOIS DE JULHO do Levante Popular da Juventude, tínhamos um objetivo: resgatar a memória do Povo Baiano, resgatar a história de Luta que tivemos na nossa Independência, história que as elites escolheram esconder de nós, o verdadeiro dia da Independência do Brasil - o dia DOIS DE JULHO de 1823.


Salvador, 7 de dezembro de 2012. 

Saímos às ruas de Salvador na manhã de hoje em direção ao Aeroporto da nossa cidade, para resgatar nosso nome, a nossa História. Reivindicamos o passado de resistência e luta do povo baiano contra todos os tiranos e todo projeto de dominação das elites.
 Exigimos a imediata retomada do nome do nosso Aeroporto! O nosso Aeroporto é Dois de Julho! Marco da nossa independência, que foi ferido pela ação autoritária do então senador Antonio Carlos Magalhães e seu grupo político PFL (hoje DEM), quando alterou o seu nome em 1998. ACM passou por cima da história de luta do povo baiano, de Maria Felipa, de Maria Quitéria, de tantos lutadores e lutadoras que pagaram com as suas próprias vidas em nome da independência e da liberdade. Mas nós não esqueceremos!
 
Seguimos as orientações do Comandante Carlos Marighella e não descansaremos enquanto não brotar nesta terra o nosso Projeto Popular que é continuidade histórica das lutas de resistência do nosso povo. “Apagar” o Dois de Julho é querer apagar a história. É querer arbitrariamente retirar os homens e mulheres do povo que construíram, com muita luta, a nossa Querida Bahia! Como escrito no nosso hino de Independência, “Nunca mais o despotismo regerá nossas ações, com tiranos não combinam brasileiros corações”.


Somos mais de 300 jovens, organizados no Levante Popular da Juventude, vindos das cidades da Bahia: Guanambi, Caetité, Antônio Gonçalves, Jacobina, Capim Grosso, Senhor do Bonfim, Barra do Choça, Vila do Café, Ribeirão do Largo, Vitória da Conquista, Jequié, Itabuna, Juazeiro, Feira de Santana, Cruz das Almas, Cachoeira e Salvador. Estamos realizando o nosso 1º Acampamento Estadual do Levante Popular da Juventude: 2 de Julho!

Nos solidarizamos com os trabalhadores e trabalhadoras Aeroportuários e Aeroviários em suas reivindicações e reforçamos as fileiras da luta contra a Privatização dos Aeroportos em nosso País!Seguiremos elaborando planos de Revolta. Conclamamos toda a juventude popular desta cidade a se posicionar nessa questão.


Ousar Lutar, Ousar Vencer!
LEVANTE POPULAR DA JUVENTUDE



















Tistu o menino do Dedo Verde Peça Teatral parte 5

Stédile Cobra Reforma Agrária




Stédile cobra reforma
agrária do governo Dilma
Fundador e coordenador do MST avalia que momento é de refluxo do movimento popular
Há mais de 30 anos na luta dos trabalhadores rurais sem
terra, João Pedro Stédile, um gaúcho descendentes de
italianos, ficou conhecido pela forma direta como manifesta
suas opiniões políticas. Nesta entrevista exclusiva ao ABCD
MAIOR, o coordenador do MST (Movimento dos Trabalhadores
Rurais Sem Terra) avalia que o Brasil passa por um refluxo
no movimento popular. Stédile dá nota oito para a presidente
Dilma Rousseff e cinco para todo o governo, que para ele
reúne setores da burguesia e dos trabalhadores.
1. Vocês enquadram a gestão do PT dentro do modelo do neo-desenvolvimentismo? Por que?
A formulação que os movimentos sociais fazemos, entre eles o MST, a via campesina, é que de os governos Lula e Dilma são fruto de uma frente política de classes da sociedade brasileira. Dela participam desde a grande burguesia até os mais pobres. E isso dá estabilidade e popularidade ao governo, porém o mantém como governo de composição de classes, com decisões heterogêneas e, às vezes, até contraditórias, ora beneficiam a burguesia, ora os trabalhadores, ora os mais pobres. No plano econômico, o próprio governo tem se auto-definido como neo-desenvolvimentista. É uma alternativa importante ao projeto tucano e do imperialismo, o neoliberalismo.  O neo-desenvolvimentismo procura desenvolver políticas que gerem crescimento econômico e distribuição de renda.  Isso é importante, porém insuficiente.  Os problemas graves da sociedade brasileira, como emprego para todos, terra para todos sem terra, universalização da educação, moradia digna para todos, e acesso à cultura, somente conseguiremos resolver com reformas estruturais. E elas somente serão viáveis com a retomada da mobilização de massas e se tivermos, dentro do governo, uma correlação de forças de partidos mais compromissados com os trabalhadores.
2.Em relação à reforma agrária, quais os avanços e recuos durante estes dez anos?
Nos últimos dez anos, não houve avanços em termos de reforma agrária.  Reforma agrária é uma política publica que leve a democratização da propriedade da terra, como bem da natureza, ao maior numero possível de seus cidadãos.  Nos últimos dez anos, se ampliou a concentração da propriedade da terra.  E pior, concentrou inclusive nas mãos de empresas de fora da agricultura e do capital estrangeiro. O governo Dilma não conseguiu nem resolver o problema social das 150 mil famílias que estão acampadas, algumas há mais de cinco anos, ao longo de estradas brasileiras. Por tanto, o governo Dilma abandonou a reforma agrária, iludido com o sucesso do agro-negócio, que produz, ganha dinheiro, mas concentra a riqueza e a terra e aumenta a pobreza no campo.
3. Como você o avalia o governo Dilma do ponto de vista ideológico: de um a 10, qual a nota?
A presidenta Dilma tem um bom desempenho pessoal e ideológico, daria  oito. A composição de seu governo, formada pelas forças políticas que detêm o controle dos ministérios, é bem pior do que no governo Lula. São prepotentes e desconhecem as prioridades do povo.  Ainda estão navegando com as políticas sociais do governo Lula.  Daria 5 para eles.
4. Gestões municipais progressistas podem ajudar o fortalecimento de organizações como o MST que defendem a agricultura familiar e a economia solidária?
Nós somos devotos de Santo Antonio Gramsci, o mais interessante dos santos italianos, sobretudo porque foi um sábio e comprometido com os trabalhadores.  E ele dizia que a luta de classes ocorre em todos os espaços da sociedade moderna.  Seja nas disputas eleitorais, seja em muitos espaços de pequenos poderes, que ele chamava de “estado ampliado”.   Por tanto, todos os espaços, um jornal, uma rádio, uma televisão comunitária, um sindicato, uma prefeitura, um governo do estado... Todos são espaços que podem acumular forças para o projeto da classe trabalhadora ou podem acumular forças para os capitalistas e os exploradores. Nós acreditamos e defendemos que as prefeituras podem e devem ser espaços importantíssimos para desenvolver políticas públicas a favor das necessidades do povo, democratizar a participação popular nas decisões municipais, etc.
5. Há partidos e organizações de vanguarda preocupados com esta construção? Que movimentos você enxerga como atores políticos no futuro imediato e de médio prazo?  
Infelizmente, no sentido genérico e incluindo todas as categorias do campo e da cidade, vivemos um período de refluxo do movimento de massas.  E isso retirou força política para a classe atuar nas disputas da sociedade.   Porém, esses períodos são limitados, em algum momento virá um novo processo de acenso.   Ninguém sabe quando, nem como.   E somente nos períodos de reascenso é possivel  rearticular formas organizativas e forças políticas-ideológicas. Por isso que agora estamos vivendo uma pasmaceira, em termos de organização política, que nos leva apenas a disputar eleições.  Que são necessárias, porém insuficientes para o projeto da classe trabalhadora. Então, em períodos difíceis como esse, temos de investir na formação de militantes, no estímulo da luta social, e na construção de meios de comunicação alternativos...até que a maré mude..

6. O MST há muito denuncia a judicialização da política no Brasil. Esta ofensiva de direita em torno da exploração política do mensalão, como ferramenta de combate ao PT, é parte do mesmo processo de subordinar direitos políticos ao judiciário?
Claro.  A classe dominante brasileira é muito esperta e experiente. Não é por nada que manda há 500 anos.  Ela sabe que não tem hegemonia no governo federal.  Participa, mas não manda.  Então, para se contrapor às forças da classe trabalhadora, nos últimos dez anos, a prioridade da burguesia, além de ganhar dinheiro na economia, tem sido utilizar-se do judiciário e dos meios de comunicação para combater as idéias e os programas da classe trabalhadora.  E o episódio recente do STF é apenas um capítulo  dessa ofensiva e controle hegemônico que a burguesia tem sobre o judiciário e o usará contra todos os que assumirem compromissos claros com a classe trabalhadora.
7. Que peso você atribui à regulação da mídia na construção de um país democrático e socialmente justo?
A classe dominante tem no controle hegemônico da mídia, uma de suas principais armas para manter o controle da população, enganá-la e fazer a luta de classes contra o povo e os trabalhadores. Por isso, é fundamental trabalharmos em duas direções: primeiro, lutar pela democratização dos meios de comunicação. Segundo, construirmos nossos próprios meios de comunicação populares, para fazer essa disputa de idéias, de forma democrática, mas com as mesmas condições.

 

Cadernos



Esperamos que você esteja bem.

Se estiver em sampa dia 14, não esqueça que vai rolar o lançamento do Cadernos Negros volume 35, um livro com poemas de autores de diversos Estados, com alguns recém-chegados à série, e outros que já trilham esse caminho há algum tempo.
Caso não tenha feito sua inscrição, restam poucas vagas (veja links no final). Se tiver feito, você já deve ter recebido o e-mail de confirmação.

Se não estiver em sampa, contamos com sua energia positiva.

O evento acontecerá a partir das 19h, na Sala Olido, Av. São João, 473, centro de São Paulo (próx. À Igreja N. Sra. Do Rosário dos Homens Pretos, no Largo do Paissandu), metrô São Bento.

De qq modo, contamos com sua presença nesse evento, que terá vários autores do livro (veja abaixo todos os nomes) e a participação especial das cantoras Krystal, Liah Jones, e com a MC Sofia, rapper de 8 anos, além do MC Levy. Você também poderá trazer um poema, pois haverá um espaço para leitura.
Autores do Cadernos Negros 35:Akins Kinte, Bas'ilele Malomalo, Claudia Walleska, Cristiane Sobral, Cuti, Débora Garcia, Décio Vieira, Denise Lima, Edson Robson, Fausto Antônio, Guellwar Adún, Jairo Pinto, Jamu Minka, Kasabuvu, Luís Carlos 'Aseokaynha', Márcio Barbosa, Mel Adún, Samuel Neri, Serafina Machado, Sergio Ballouk, Silvana Martins e Vânia Melo.
_________________________________________


Cadernos Negros 
é uma série que foi criada em 1978 por Cuti, Hugo Ferreira, com a participação de Jamu Minka, dentre outros. De lá para cá tem sido editada ininterruptamente, ajudando a dar visibilidade a textos que têm ajudado a lançar luz sobre a realidade brasileira, colocando a população negra como protagonista de seus versos e histórias. Atravessando as décadas, a série se mantém viva graças a todos e todas que a apoiam e à qualidade dos textos. Como diz a professora Patrícia Santana, na contracapa: “Dos poemas pulsam palavras, tramas e entranhas, histórias de resistência, lutas, sofrimentos, alegrias, kizombas e batuques”. Que a série, atravessando os percalços, possa perdurar.
__________________________________________

Links para inscrição:

www.quilombhoje.com.br
www.quilombhoje2.com.br/blog


Preço de lançamento: $ 20.

Sarau do Ano


Último Sarau do ano - Antes que o mundo acabe - um pouquinho de cada um...
Será nesta - quinta-feira - 13 de dezembro. Sofia Cavedon (PT-PoA) promove na quinta-feira, a partir das 18h30min, o último Sarau do ano - Antes que o mundo acabe - um pouquinho de cada um... Com uma ...
Ver ou comentar a postagem de Sofia Cavedon »
Sofia Cavedon compartilhou isto com você. Ignore Sofia Cavedon para parar de receber notificações dela. Desativar atualizações nesta postagem. Altere que tipo de e-mail o Google+ envia para você.
Você não pode responder a este e-mail. Visualize a postagem para adicionar um comentário.
Google Inc., 1600 Amphitheatre Pkwy, Mountain View, CA 94043 USA

Caso do Prefeito Elói parte 2


SEGUNDA-FEIRA, 10 DE DEZEMBRO DE 2012

PROCESSO DO PREFEITO E VICE

O prefeito municipal e sua vice estão sendo processados pela coligação de oposição que buscou através de uma ação de investigação eleitoral a cassação de registro ainda no mês de outubro. A coligação provou na ação vários delitos praticados pelo prefeito, na ação ficou provado crime eleitoral e na esfera de sua administração. A juíza eleitoral aqui em Vacaria que julgou o caso condenou o prefeito a mais de cem mil de multa, e mandou extrair cópia e remeter ao MP para as promover investigação para apurar atos de improbidade, mas não cassou a sua candidatura. A coligação recorreu ao tribunal para buscara à cassação da candidatura ou registro com queiram, pois entende que conforme as provas o caso é grave e passível de cassação; já que em outros casos no estado de menor gravidade o tribunal cassou as candidaturas. O procurador eleitoral deu parecer favorável ao recurso da coligação e negou provimento ao recurso dos candidatos; o procurador do ministério público federal Rubens Bento Alves que tem cuidado dos casos envolvendo prefeito analisou o processo por 45 dias e na sexta feira deu seu parecer pela cassação. Com relação ao caso é preciso esclarecer que o prefeito cometeu vários crimes, entre eles uso da máquina publica em campanha, abuso do poder econômico, propaganda ilegal, autopromoção com dinheiro publica, fraude a licitação entre outros; a população de Vacaria pouco o quase nada sabe sobre o caso, pois a imprensa local não divulgou nada e esconde o fato. O julgamento deve acontecer nos próximos dias, ao que tudo indica antes da diplomação.

Câmara de Vereadores de Vacaria RS



Boa tarde

Os vereadores vão discutir pela primeira vez esta noite, três projetos de iniciativa do executivo, todos de suplementação:

Projeto de Lei 137 > R$ 782.932,00 para a melhoria dos serviços de saúde do Hospital  N.Sra. da Oliveira - convênio , recurso SIA|SUS
Projeto de Lei 138 > R$ 192 mil referente ao repasse de recursos financeiros dos municípios da microregião ao município de Vacaria - contrato 150/2011 Hospital
Projeto de Lei 139 > R$ 86 mil para pagamento do vale alimentação de servidores municipais

Na Ordem do Dia:

Indicação 08/2012, de autoria da Vereadora Elisabete Ritter de Vargas Silva, PMDB, solicitando à Administração Municipal a redução do IPTU aos contribuintes que adaptarem cisternas para a captação da água da chuva em seus domicílios.

Projeto de Lei 155 > projeto em tramitação desde 2011. Prevê a cobrança de contribuição de melhoria, em 16 trechos de ruas da cidade onde foram realizadas obras de pavimentação.


Obrigada,

Giana Pontalti
Assessora de Comunicação
Câmara Municipal de Vereadores 

Caso Prefeito Elói Poltronieri

Francisco Appio
NOTÍCIA DE ÚLTIMA HORA - O Procurador do Ministério Público Federal FÁBIO BENTO ALVES protocolou PARECER FAVORÁVEL ao recurso da ALIANÇA JUNTOS POR VACARIA, que reformula a Sentença da Juíza Eleitoral que multou e não cassou o candidato do PT, nas eleições de outubro passado. O Parecer é pela cassação por Abuso de Poder Político e uso de recursos públicos para a campanha eleitoral. Com a juntada deste Parecer do MPF, o Recurso volta à Relatora Maria Lúcia Leiria(Desembargadora Federal no TRE-RS) que levará o processo a julgamento nos próximos dias, antes da diplomação de Elói Poltroniéri. Ela julgará nosso Recurso, ju ntamente com outros dois desembargadores estaduais. A manifestação do Promotor Eleitoral do TRE, que ficou com o processo em carga por 48 dias, significa que ele é muito complexo e exigiu investigações do Procurador Federal. Nossos advogados tem absoluta confiança no Recurso, pois a juntada de provas documentais, atesta que houve Crime de Improbidade na confecção do panfleto das obras (fraude na Lei das Licitações) além de uso de recursos públicos na promoção dos candidatos da Via Popular. Na semana anterior a eleição, nossa representação no Juízo Eleitoral, obteve Sentença parcial, condenando os candidatos à multa de 100 mil reais, mas deixando de examinar os crimes de improbidade e outros delitos, por não ser da alçada daquela juíza eleitoral. Confiamos na Justiça e no julgamento que poderá determinar uma nova eleição em Vacaria.

Fonte: Facebook