Rádio WNews

quarta-feira, 9 de março de 2016

Outras Palavras

Imagem inline 1
Boletim de atualização - Nº 628 - 7/3/2016



Donald Trump e o Fascismo à americana
Ressentidos com a hipocrisia da elite política, empobrecidos e sem perspectivas, milhões de brancos querem uma liberdade especial – a de odiar. Por Chris Hedges (Outras Palavras)

O quebra-cabeças político de Lula
O primeiro ato – denunciar as arbitrariedades e o caráter elitista da Lava Jato – ele fez com maestria. Mas para prosseguir, terá de enfrentar as contradições de seu próprio projeto. Por Antonio Martins (Blog da Redação)

O papel da Globo na perseguição
Noticiário deu amplo destaque às hipóteses policiais, tentou minimizar fala de Lula, valorizou "mercado" e omitiu violação de direitos. Governo Dilma continua abastecendo emissora com farto dinheiro público. Por Bia Barbosa, no Intervozes (Outras Mídias)

Quem vai deter a marcha da insensatez?
Em Sorocaba, já no dia 4, houve confronto entre petistas e tucanos (clima de guerra), em BH, mulher de vermelho foi ofendida enquanto caminhava (clima fascista). Por Alceu Luís Castilho (Blog do Alceu Castilho)

Também em Natal, Ignorância é Força
Crônica da sessão em que a Câmara de Vereadores deu razão a George Orwell, ao vetar a formação dos professores em temas de gênero, atribuindo a Karl Marx perigosas teorias, com as quais ele jamais sonhou. Por Berenice Bento (Blog da Redação)

As muitas formas de obter cachaça
Industrial, artesanal, padronizada, informal. Na diversidade dos modos de produzir, outra traço de diversidade do destilado brasileiro. Mais: a Mato Dentro, de São Luís do Paraitinga-SP Por Felipe Jannuzzi (Outras Palavras)

Spotlight: sobre pedofilia e uma mídia que morreu
Vencedor do Oscar, filme de Tom MaCarthy expõe, enxuto e sem melodramalhões, abusos de crianças por religiosos. Obra relembra um tempo em que jornais comerciais cumpriram papel civilizatório. Por José Geraldo Couto (Outras Palavras)

Outros Quinhentos propõe: cursos da Universidade do LivroPrograma de sustentação de Outras Palavras oferece gratuidades e descontos expressivos numa das mais importantes escolas de edição do país. Participe, também, do sorteio de duas garrafas de “Mato Dentro”, notável cachaça de alambique. Por Vinícius Gomes Melo (Outros Quinhentos)

--Boletim de atualização do site Outras PalavrasA reprodução é bem-vinda. Interessados em recebê-lo devem clicar aqui. Para deixar de receber, aqui. Acompanhe nossas novidades também no Facebook


_______________________________________________
Boletimdiplo mailing list
Boletimdiplo@listas.tiwa.net.br
https://listas.tiwa.net.br/listinfo/boletimdiplo
Descadastrar: envie email a Boletimdiplo-unsubscribe@listas.tiwa.net.br

Sessão da Câmara de Vereadores de Vacaria RS (14)

Sessão da Câmara de Vereadores de Vacaria RS (13)

Combate Ao Racismo




DECLARAÇÃO DE PORTO ALEGRE
CONSTRUIR A "CONVERGENCIAS DA LUTA DE COMBATE AO RACISMO NO BRASIL"
Reunidas no dia 21 de Janeiro de 2016, durante o Fórum Social Temático de Porto Alegre, no Estado do Rio Grande do Sul, lideranças do movimento negro representando vinte e uma organizações nacionais, regionais e estaduais de treze estados brasileiros declaram e tornam públicos os seguintes pontos que orientam o  diálogo para a construção da unidade  da luta de combate ao racismo,  iniciado em reunião das organizações negras na cidade de Salvador (Bahia) em de novembro de 2015.
I - Reafirmar os desafios da conjuntura e para o futuro da luta negra no Brasil apresentados na Carta de Salvador de 29 de novembro de 2015.
O Mundo vive uma grave crise econômica, política, ambiental, humanitária e moral que traz como consequência a destruição da natureza; a desvalorização do trabalho; a recolonização, que envolve racismo, genocídio contra a população negra, em especial, em relação à juventude negra, a xenofobia e a criminalização dos movimentos sociais. A crise financeira mundial ainda não superada é usada para justificar o pensamento conservador que a cada dia ganha mais espaço na agenda pública na Europa e nas Américas.
Nos EUA, a tônica para a próxima disputa eleitoral entre os Republicanos é a busca do candidato mais ultraconservador, entre os ultraconservadores. Ideários nazi-fascistas orientam as políticas imigratórias nos EUA, Canadá e Comunidade Européia. Medidas draconianas contra estrangeiros, refugiados e trabalhadores não nacionais se intensificam. Crescem os conflitos armados e genocidas contra povos e nações não brancas e não ocidentais em todo planeta.
O povo brasileiro não está imune a crise, tem amargado seus nefastos efeitos, ultimamente potencializado por medidas regressivas do ajuste fiscal e na pauta imposta pela maioria conservadora do Congresso Nacional, tais como a redução da maioridade penal, ampliação da terceirização, lei antiterrorismo e outros ataques aos direitos trabalhistas.
No campo da luta por igualdade racial o agravo da crise é maior, o ambiente está muito mais desfavorável, pois será principalmente sobre os ombros dos (as) trabalhadores (as) negros (as) que pesará o ônus da crise. Será a maioria dos (as) desempregados (as), que mais sofrerão os altos e baixos do contingenciamento de recursos nas áreas sociais, tais como saúde e educação.
Diante da conjuntura adversa para luta contra o racismo e pela eminência do conservadorismo avançar sobre a pauta da igualdade racial, precisamos apostar na unidade do movimento negro como ferramenta de resistência e luta contra a onda conservadora que busca revogar as mais minúsculas conquistas da população negra.
O movimento negro vem ao logo dos últimos anos buscando consensos. Foi assim, que derrubou o “mito da democracia racial”; construiu a unidade em torno do Dia Nacional da Consciência Negra (20 de novembro); realizou a Marcha dos 300 Anos da Imortalidade de Zumbi dos Palmares, quando transformou Zumbi em herói nacional; as movimentações dos 500 Anos de Resistência Indígena, Negra e Popular; das mobilizações pela aprovação e a constitucionalidade das cotas raciais e pela aprovação do Estatuto da Igualdade Racial.
Na conjuntura atual há um consenso entre nós: estamos vivendo em uma tensão política e econômica em que está instalada uma polarização da disputa sobre os rumos do desenvolvimento do Brasil e que projetos políticos distintos encontram-se radicalizados e em choque lutando pela hegemonia da sociedade brasileira.
Em que pese os avanços alcançados nos últimos anos, através de um conjunto de políticas públicas, legislações e estruturas governamentais voltadas para ascensão da população negra e para o combate ao racismo ainda persiste a perversa desigualdade racial no nosso país. Há muito a ser feito para o alcance da justiça racial, apesar do caminho tortuoso e longo, enfrentando uma carga de quinhentos anos de construção do racismo e da desigualdade, que não nos faz recuar, muito pelo contrário, aumenta nossa determinação na luta.
As organizações do Movimento Negro estarão sempre presentes nas justas mobilizações do povo, na construção de um país sem opressores, sem oprimidos e com soberania. Temos que ocupar as ruas, defender a democracia e uma agenda de retomada do desenvolvimento, que assegure direitos, valorize o trabalho, combata o racismo, machismo, homofobia e outras manifestações correlatas de ódio e opressão.
II - Considerar como ponto de partida para a construção de uma plataforma e um plano de lutas comum e unitário, as bandeiras abaixo relacionadas que foram decididas coletivamente na reunião de Salvador:
        Contra a redução da maioridade penal;
        Combater o extermínio/genocídio juventude negra;
        Aprofundar as políticas e ações afirmativas no país, com destaque nas mulheres negras;
        Autonomia das mulheres negras e participação nos espaços de poder público e privado;
        Lutar pela efetivação das leis 10.639/03 e 11.645/08;
        Avançar na pauta quilombola, nenhum quilombo sem suas terras regularizadas e tituladas e com políticas públicas para melhoria da qualidade de vida;
        Combater a intolerância e violência religiosa, garantir a laicidade do estado e proteger a liberdade de culto;
        Criminalizar a homofobia;
        Pela aprovação da PL 4471/12, que põe fim aos autos de resistência;
        Democratização dos meios de comunicação;
        A cultura afro-brasileira é parte fundamental da cultura geral no Brasil, neste sentido atuaremos pela ampliação da sua inclusão nas políticas públicas, bem como, em toda e qualquer discussão do movimento negro brasileiro, enquanto instrumento de transformação social.
III - Criar a "Convergências da Luta de Combate ao Racismo no Brasil".
Considerações:
a) É um espaço de busca de consensos em torno de pautas e agendas comuns.
b) Visa a construção de programas, agendas e lutas para além da institucionalidade da promoção da igualdade racial.
c) Sua metodologia de construção de convergências de pautas e agendas deve partir de consensos decorrentes dos acúmulos de cada força política e organização nacional, regional e local do movimento negro brasileiro.
d) Deve incorporar e se relacionar com os novos movimentos existentes ou em criação na luta de combate ao racismo no Brasil.
e) A "Convergências da Luta de Combate ao Racismo no Brasil" deve estar inserida, além das lutas de combate ao racismo, no debate mais amplo sobre o Desenvolvimento e de um Projeto para o Brasil.
IV – Propostas iniciais para a construção da "Convergências da luta de combate o racismo no Brasil".
+ Incorporar em nossas pautas as políticas e programas de luta contra o racismo com os objetivos do Decênio Internacional para os Afrodescendentes (2015 – 2014): Reconhecimento, Justiça e Desenvolvimento.
+ Apontar para agendas e pautas que são estratégicas para a população negra brasileira como: uma nova política de segurança pública e sobre as drogas.
+ Prioridades apresentadas para a construção de um plano e uma agenda de lutas: mulheres negras, juventude negra, quilombolas, intolerância religiosa e os direitos LGBT.
+ Eixos de lutas a serem considerados no ano de 2016: o racismo nas Olimpíadas; as eleições municipais com o estímulo e o apoio das candidaturas negras.
V- Encaminhamentos
> Elaborar um documento a partir do conteúdo da Carta de Salvador de 29 de novembro de 2015 e com a inclusão das definições da reunião de 21 de Janeiro de 2016, para continuidade do diálogo entre as organizações do movimento negro brasileiro.
> Realizar um novo encontro em 14 de Maio de 2016, na cidade de São Paulo.
> Esse encontro deve aprovar o Manifesto, o formato organizativo e uma Agenda para a “Convergências da Luta de Combate ao Racismo no Brasil”.
Porto Alegre/Rio Grande do Sul - 21 de Janeiro de 2016.
Assinam essa declaração:
ABPN - Associação Brasileira de Pesquisadores Negros, APN's - Agentes Pastorais Negros, CEN - Coletivo de Entidades Negras, Círculo Palmarino, CONAJIRA - Comissão Nacional de Jornalistas pela Igualdade Racial,CONAQ - Coordenação Nacional das Comunidades Quilombolas, CONEN - Coordenação Nacional de Entidades Negras, ENEGRECER – Coletivo Nacional de Juventude Negra, FNMN - Fórum Nacional de Mulheres Negras,FONAJUNE – Fórum Nacional de Juventude Negra, MNU - Movimento Negro Unificado, QUILOMBAÇÃO, Rede Afro LGBT, Rede Amazônia Negra, UNEGRO - União de Negros pela Igualdade.

Geledés

Você está recebendo as atualizações do Portal Geledés.
Portal Geledés
Para sair desta lista, clique aqui.

Geledés

Em defesa dos direitos humanos. Combate ao racismo, preconceito, discriminação e violência contra a mulher.

Dia da Mulher: Negras brasileiras sofrem preconceito no mercado de trabalho

Like Dia da Mulher: Negras brasileiras sofrem preconceito no mercado de trabalho on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Dia da Mulher: Negras brasileiras sofrem preconceito no mercado de trabalhoO Em Conta especial do Dia Internacional da Mulher debate salários inferiores e atendimento médico inadequado oferecidos a mulheres negras No EBC Neste Em Conta especial, pelo Dia Internacional da Mulher, você ouve a Entrevista de Valor com Luana Natielle, da Articulação das Mulheres Negras Brasileiras, e também do Centro de Feminista de Estudos e […] Leia mais »

Este não é um texto sobre o Dia da Mulher

Like Este não é um texto sobre o Dia da Mulher on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Este não é um texto sobre o Dia da MulherAs mulheres têm muito o que dizer, mas precisam ser ouvidas para muito além do mês de março. por Aline Valek, da Carta Capital  Chega o 8 de março e dá para se sentir como no filme O Feitiço do Tempo, aquele com o Bill Murray: ficamos presas a um inescapável Dia da Marmota, que […]Leia mais »

A questão das mulheres negras precisa ser central

Like A questão das mulheres negras precisa ser central on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
A questão das mulheres negras precisa ser centralSueli Carneiro já nos ensinou em “Enegrecer o feminismo: a situação da mulher negra na América Latina a partir de uma perspectiva de gênero”, que quando falamos de mulheres, é necessário se fazer a pergunta: de quais mulheres estamos falando? Mulheres não pode ser uma categoria única e universal. Por Djamila Ribeiro, no Blog da Boitempo  […] Leia mais »

Gostosa! Delícia! Casa comigo! 98% das mulheres afirmam que já sofreram cantadas nas ruas

Like Gostosa! Delícia! Casa comigo! 98% das mulheres afirmam que já sofreram cantadas nas ruas on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Gostosa! Delícia! Casa comigo! 98% das mulheres afirmam que já sofreram cantadas nas ruasO que as mulheres estão cansadas de ouvir na rua no HuffPost Brasil Gostosa! Delícia! Casa comigo! 98% das mulheres afirmam que já sofreram cantadas nas ruas e 83% acham que isso não é legal, segundo dados da pesquisa Chega de Fiu Fiu. O HuffPost Brasil foi para as ruas de São Paulo para perguntar […] Leia mais »

Camila Pitanga: ‘O empoderamento das mulheres tem nos levado a novos lugares e nos fortalecido’

Like Camila Pitanga: ‘O empoderamento das mulheres tem nos levado a novos lugares e nos fortalecido’ on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Camila Pitanga: ‘O empoderamento das mulheres tem nos levado a novos lugares e nos fortalecido’A convite de CLAUDIA, Camila escreveu um delicado manifesto sobre a causa feminina no Brasil. Leia: “Nosso tempo é agora” Por Isabella D’ercole, do HUFFPOST Quando fiz 9 anos, meus pais se separaram. Fugindo à tradição, fui morar com meu pai. Nosso ‘pãe’ desdobrou-se em trabalhar e cuidar da gente: meu irmão e eu. Ele não se […] Leia mais »

A Cor ou Raça nas estatísticas educacionais: Uma análise dos instrumentos de pesquisa do Inep

Like A Cor ou Raça nas estatísticas educacionais: Uma análise dos instrumentos de pesquisa do Inep on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
A Cor ou Raça nas estatísticas educacionais: Uma análise dos instrumentos de pesquisa do InepCompreender as desigualdades raciais na educação brasileira envolve colocar em debate a produção de dados sobre cor ou raça, os quais ajudam a iluminar as disparidades entre o que se convencionou classificar de brancos, negros, amarelos e indígenas no País. por Adriano Souza Senkevics* Taís de Sant’Anna Machado** Adolfo Samuel de Oliveira*** no Inep enviado para o Portal […] Leia mais »

A cada hora, cinco mulheres morrem no mundo vítimas de violência doméstica, diz ONG

Like A cada hora, cinco mulheres morrem no mundo vítimas de violência doméstica, diz ONG on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
A cada hora, cinco mulheres morrem no mundo vítimas de violência doméstica, diz ONGDe acordo com a ActionAid, mais de 500 mil mulheres serão mortas por seus parceiros ou familiares até 2030; apesar de avanço, violência ainda é realidade Por Heloisa Cristaldo, do Opera Mundi  A violência doméstica é responsável pela morte de cinco mulheres por hora no mundo, mostra a ONG (organização não governamental) Action Aid. A informação […] Leia mais »

Leal a Dilma, Exército desmente Noblat e Merval

Like Leal a Dilma, Exército desmente Noblat e Merval on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Leal a Dilma, Exército desmente Noblat e Merval“Quando empregamos tropas em eventos de pacificação ou de garantia da lei e da ordem, a determinação nos é dada por meio da Presidência da República. Se algum governador desejar a participação das tropas para qualquer coisa, tem que pedir à Presidência, esse é o fluxo”, disse o general Otávio Rêgo Barros, do Centro de […] Leia mais »

Fernanda Torres detonando diretamente da Belle Époque

Like Fernanda Torres detonando diretamente da Belle Époque on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Fernanda Torres detonando diretamente da Belle ÉpoqueAo ler o artigo “Mulher” (no blog #AgoraÉQueSãoElas, em 22.2.2016), da atriz e escritora Fernanda Torres, no qual diz: “A vitimização do discurso feminista me irrita mais do que o machismo”, além de expor ideias irreais sobre assédios sexuais sofridos por Irene, sua babá negra, pensei: escrito diretamente da Belle Époque, cujo centro irradiador era […]Leia mais »

Chacina do Cabula: um ano, 12 mortos e uma sentença de absolvição

Like Chacina do Cabula: um ano, 12 mortos e uma sentença de absolvição on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Chacina do Cabula: um ano, 12 mortos e uma sentença de absolvição“Eles nos chamam de assassinos, mas nós não assassinamos Martin Luther King Jr., Emmett Till, Medgar Evers, Malcolm X, George Jackson, Nat Turner, James Chaneye incontáveis outros. Nós não matamos, com tiro nas costas, Rita Lloyd, de 16 anos, Rickie Bodden, de 11 anos, ou Clifford Glover, de 10 anos. Eles nos chamam de assassinos, mas nós não controlamos […] Leia mais »

Filha de Nina Simone defende Zoe Saldana, que interpreta a artista em filme

Like Filha de Nina Simone defende Zoe Saldana, que interpreta a artista em filme on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Filha de Nina Simone defende Zoe Saldana, que interpreta a artista em filmeA filha de Nina Simone defendeu Zoe Saldana das críticas que a atriz vem recebendo por interpretar a cantora e pianista em uma cine-biografia. Do UOL Lisa Simone Kelly, filha única da artista, disse à “Time” que não estava a par das críticas feitas a Saldana no Twitter oficial de sua mãe, que, segundo ela, […] Leia mais »

São Paulo ganha novo Centro de Referência de Promoção da Igualdade Racial

Like São Paulo ganha novo Centro de Referência de Promoção da Igualdade Racial on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
São Paulo ganha novo Centro de Referência de Promoção da Igualdade RacialO serviço, localizado no bairro de Vila Maria, oferecerá apoio à população em casos de discriminação racial Enviado pela  SMPIR para o Portal Geledés  No próximo dia 08 de março, terça-feira, a Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial (SMPIR) inaugura, com o apoio do Geledés – Instituto da Mulher Negra – um Centro de […] Leia mais »

Justiça decreta prisão de policiais acusados de matar Antônio Pereira de Araújo

Like Justiça decreta prisão de policiais acusados de matar Antônio Pereira de Araújo on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Justiça decreta prisão de policiais acusados de matar Antônio Pereira de AraújoAntônio, que era auxiliar de serviços gerais, foi torturado até a morte. Caso se assemelha ao do pedreiro Amarildo de Souza, morto após ação da PM na Rocinha no Metropolis O Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT) concedeu a prisão preventiva dos policiais militares acusados de torturar até a morte o auxiliar de serviços gerais Antônio Pereira […] Leia mais »

Nina Simone é PRETA. Possui ROSTO AFRICANO

Like Nina Simone é PRETA. Possui ROSTO AFRICANO on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Nina Simone é PRETA. Possui ROSTO AFRICANOO que fizeram com a cantora é um desrespeito a todos nós. Um insulto aos nossos traços. É negar o que somos… Por Fábio Kabral Do Medium Traços negros. Nós temos. Somos pretos. Somos negras e negros. Nossa pele é escura. Você sabia? Nossos traços são esses. Somos pretas e pretos, e nós estamos aqui. Precisa […] Leia mais »

Cliente do supermercado Mundial é vítima de preconceito racial e religioso de funcionário

Like Cliente do supermercado Mundial é vítima de preconceito racial e religioso de funcionário on Facebook share on Twitter Google Plus One Button
Cliente do supermercado Mundial é vítima de preconceito racial e religioso de funcionárioA filial do supermercado Mundial, em Botafogo, Zona Sul do Rio, foi autuada pelo Procon Estadual por intolerância religiosa contra uma cliente, como foi publicou a coluna do Ancelmo Gois neste domingo, no jornal “O Globo”. O episódio aconteceu na sexta-feira, dia 26 de fevereiro, quando um funcionário do estabelecimento começou a gritar “Se manifesta, […] Leia mais »